Um seguro que pode ser contratado antes de pegar a estrada e por apenas 24 horas. Esse é o ‘Instant’ produto lançado para automóveis com proteção por perda total por acidente. O produto permite a contratação exclusivamente pelo uso e sob demanda, diferentemente do que acontece nas apólices tradicionais.

Apesar de já existir em outros países, essa modalidade só foi autorizada pela Susep em agosto do ano passado, através da Circular 592, que permitiu a customização de planos de seguros com vigência reduzida de contrato e período intermitente.

A novidade chega ao mercado brasileiro através da Argo Seguros. Com apenas oito anos de atuação no Brasil, a companhia já nasceu em um formato mais digital e afirma não desejar competir com as demais seguradoras que já atuam no ramo de automóveis.

“Nosso foco são os veículos com valor de mercado até 30 mil reais e que ainda não tem seguro por conta do preço. Como o Instant é um produto ‘pay per use’ (pago por uso), seu custo é mais baixo se comparado a um seguro auto tradicional”, diz Newton Queiroz, CEO e presidente da companhia.

A contratação será feita através do corretor de seguros, que vai cadastrar o cliente em um aplicativo desenvolvido para funcionar como uma carteira digital, onde será possível acessar os créditos, ativar o período de cobertura, obter dados da apólice e pontos de contato.

“Antes de viajar, o cliente vai acionar o seguro através do app, indicando seu ponto de partida e o destino. O seguro cobrirá todo o trajeto, ou seja, a estrada ou rodovia, além de parte do perímetro urbano por 24 horas. O valor final vai depender da importância segurada, no caso, o valor de tabela do veículo”, explica Bruno Porte, diretor de Operações e TI da empresa.

O processo de contratação é simples e intuitivo, de forma que a jornada de compra do seguro ofereça uma melhor experiência ao segurado. Um bom exemplo é a vistoria digital do veículo.

Leia mais: Argo Seguros oferece ferramenta para assinatura digital de documentos

“O Instant é um modelo de seguro inovador e disruptivo. Ele é o primeiro de vários outros que vamos oferecer com esse mesmo conceito. Queremos popularizar a cultura do seguro, levando proteção para pessoas de todas as classes sociais, já que elas pagarão apenas pelo o que usar, tornando todo processo o mais justo possível”, ressalta Queiroz.

N.F.
Revista Apólice

Deixe uma resposta