EXCLUSIVO – O movimento Maio Amarelo é uma campanha de conscientização da segurança no trânsito, cuja primeira edição ocorreu em 2014. A ação foi baseada em uma resolução da Assembleia Geral das Nações Unidas, que definiu o período entre 2011 e 2020 como a “década de ações para a segurança no trânsito”. Maio foi escolhido por ter sido o mês em que foi publicada a resolução da ONU, dia 11 de maio de 2011. Até o ano passado, 27 países, 423 municípios e 1.425 empresas apoiaram a campanha.

O objetivo do movimento é realizar uma ação coordenada entre o Poder Público e a sociedade civil. O foco é colocar em evidência o tema segurança viária e mobilizar toda a sociedade, envolvendo também órgãos governamentais, empresas, entidades de classe, associações e federações, visando discutir o assunto efetivamente para engajar ações e propagar o conhecimento sobre a importância de manter-se seguro nas ruas.

Segundo dados divulgados pela organização do movimento, três mil vidas são perdidas por dia nas estradas e ruas, sendo a nona causa de mortes no mundo. Os acidentes de trânsito são o maior responsável pelas mortes de pessoas entre 15 e 29 anos de idade; o segundo na faixa dos 5 a 14 anos; e o terceiro na faixa dos 30 a 44 anos. Atualmente, esses acidentes já representam um custo de US$ 518 bilhões por ano, um percentual entre 1% e 3% do PIB de cada país.

Entretanto, o isolamento social ocasionado pela pandemia do novo coronavírus refletiu em uma queda neste número de acidentes. Somente em São Paulo, de acordo com a Secretaria Estadual de Logística e Transportes, as rodovias do Estado registraram uma baixa de 46,7% neste índice.  Segundo José Ramalho, presidente do Observatório Nacional de Segurança Viária (ONSV), apesar do número de acidentes ter diminuído, a gravidade deles é maior. “Muitas pessoas, por pensarem que há menos carro nas ruas, acabam se distraindo ou até mesmo agem com imprudência, ultrapassando semáforos e andando em alta velocidade. É importante lembrar que não podemos colocar no outro a responsabilidade que é nossa”.

Devido à quarentena, a coordenação do Movimento Maio Amarelo, realizada pela equipe do ONSV, decidiu, em conjunto com o Denatran (Departamento Nacional de Trânsito), promover a campanha no âmbito digital durante este mês. As ações presenciais foram aconselhadas a serem realizadas em setembro, quando há a possibilidade do cenário da pandemia terá mudado e também será celebrada a Semana Nacional de Trânsito.

O tema da campanha para este ano é “Perceba o risco, proteja a vida”. O slogan foi escolhido para reforçar a ideia de que somente divulgando dados sobre esses acidentes e investindo em comunicação, é que será possível evitar que mais vidas sejam perdidas na rua. “O trânsito é uma pandemia muito mais grave com a qual convivemos há décadas. Se cada pessoa tiver consciência e fizer sua parte, adotando gestos simples como usar o cinto de segurança, e seguindo as leis, será possível evitar que mais pessoas se machuquem”, ressalta Ramalho.

Mercado segurador investe em ações

A campanha Trânsito+Gentil é realizada pelo Porto Seguro Auto e foi criada em 2010, tendo como objetivo fomentar a gentileza e o respeito entre motoristas, passageiros, ciclistas e pedestres, criando um trânsito melhor, mais seguro e, consequentemente, com mais qualidade de vida.

A intenção da empresa é motivar as pessoas a disseminarem a educação e boa conduta. “A grande maioria dos acidentes e até mesmo os altos índices de congestionamento poderiam ser evitados com mais tolerância e gentileza”, afirma Jaime Soares, diretor do Porto Seguro Auto.

Para engajar mais os motoristas e pedestres, a companhia criou o aplicativo T+G, que auxilia na dirigibilidade e incentiva o usuário a ser mais consciente. Atualmente o app já conta com mais de um milhão de downloads, refletindo o quanto o motorista está disposto a colaborar para um trânsito melhor. A ferramenta, que funciona como uma espécie de medidor de gentileza na direção, concede descontos de até 25% para todos os usuários na contratação ou na renovação do seguro auto. Se o condutor tiver entre 18 a 24 anos, o desconto pode chegar até 35%.

Leia mais: DPVAT indeniza mais de 68 mil pedestres por invalidez permanente

Durante o uso do aplicativo, o motorista vai somando pontos de acordo com as suas atitudes no trânsito, recebendo o desconto de acordo com a sua pontuação.

Para Soares, é fundamental que as seguradoras invistam em ações como essa. “Trabalhamos com a proteção das pessoas e dos seus patrimônios. No caso do trânsito, ainda um dos ambientes mais perigosos, só será possível a mudança de comportamento a partir da conscientização de todos os agentes que compõe essa cena. Sabemos que a população não irá mudar completamente sua conduta da noite para o dia, por isso é importante que organizações realizem campanhas e invistam na comunicação, cumprindo seu objetivo de proteger a sociedade”.

Nicole Fraga
Revista Apólice

Deixe uma resposta