O mercado atravessa uma fase com alta demanda pela integração de sistemas, afinal somente através dela empresas podem trocar informações de maneira rápida e segura. Organizações de diversos setores buscam oferecer serviços de alto valor agregado para os seus consumidores, mas para isso elas precisam garantir a conexão com outros parceiros e aplicativos. No mercado de seguros não seria diferente.

Seguradoras estão adotando o uso de API’s (Application Programming Interface) para garantir que seus clientes tenham acesso aos melhores produtos e serviços em uma única plataforma. Nesse contexto, o uso dessa ferramenta é indispensável, pois somente esse tipo de interface de aplicação torna possível entregar para os segurados aquilo que eles procuram em poucos cliques.

Entretanto, conforme o uso dessas API’s aumenta, é fundamental que as companhias que utilizam esse tipo de tecnologia saibam gerenciar essas aplicações, entender o porquê elas são importantes e como devem implementá-las. Somente ao adotar essa prática e definir os princípios básicos de gestão de API, as empresas passam a ter condições de indicar os requisitos e necessidades para a integração de sistemas.

Mas afinal, qual é a importância do gerenciamento de API’s?

Esse movimento consiste na supervisão das interfaces de programação de aplicativos em um ambiente seguro e escalável. Por meio dele, as organizações que publicam ou utilizam uma API conseguem monitorar o ciclo de vida da interface e garantir que as demandas dos desenvolvedores que usam a API sejam atendidas.

Para garantir que as ferramentas se integrem e que estejam sendo usadas da maneira correta, o sistema de gerenciamento de API é fundamental porque garante documentação completa, segurança, testes abrangentes, controle de versão de rotina e alta confiabilidade. Ou seja, atende todos os requisitos essenciais para os projetos baseados em software que usam aplicações.

No geral, o gerenciamento de API’s é a prática que uma organização implementa para fazer uma gestão completa da API que ela expõem, garantindo que sejam consumíveis e seguras e estejam disponíveis para os consumidores, seguindo as condições acordadas nos termos de uso da aplicação. Essa estratégia é a melhor maneira de administrar, proteger, mediar, analisar e expandir um programa de API. A integração de sistemas e aplicativos se torna viável e segura a partir da implantação das melhores práticas de uso de aplicações.

Veja mais sobre o assunto no site da GR1D Insurance.

N.F.
Revista Apólice

Deixe uma resposta