As principais alterações propostas ao modelo operacional da AXA XL incluem a criação de uma única função global de subscrição de seguros e o estabelecimento de três unidades de negócios nas Américas, Eurásia e no mercado do Reino Unido e Lloyd’s.

A Função de Subscrição será liderada por um diretor global de subscrição (Chief Underwriting Officer – CUO), que trabalhará para projetar a estrutura do novo modelo proposto. O CUO seria responsável pela governança, precificação e P&L da subscrição, e pelo gerenciamento dos chefes globais de linhas de negócios, a fim de definir e impulsionar a estratégia de produto.

As três unidades de negócios serão lideradas por CEOs, que seriam responsáveis ​​pelos balanços de suas geografias e pela gestão de talentos. Scott Gunter, CEO da companhia, confirmou a seguinte equipe de liderança para desenvolver o modelo operacional:

– Nancy Bewlay, diretora de Subscrição;
– Joseph Tocco, diretor Executivo, Américas;
– Scott Gunter, diretor Executivo interino da Eurásia;
– Sean McGovern, diretor Executivo interino do mercado do Reino Unido e Lloyd’s;
– Charles Cooper, diretor Executivo, Resseguro;
– Brent Hoffman, diretor de Sinistros;
– Karen le Duc, diretora de Recursos Humanos;
– Matthieu Caillat, diretor de Operações;
– Noel Richardson, diretor de Riscos;
– Rainer Schoellhammer, diretor Financeiro;
– Sean McGovern, diretor Jurídico.

Gunter afirma que “a empresa é o resultado de aquisições e fusões e, com o aumento da nossa escala, agora é a hora de otimizar a estrutura, alcançando o equilíbrio certo entre a tomada de decisões em nível local e global, para permanecermos ágeis e flexíveis”.

Leia mais: AXA XL lança o Cube, sua incubadora de inovação de risco

O executivo ainda diz que passou seus primeiros 60 dias como CEO avaliando as prioridades e a estrutura da organização, montando a equipe certa para impulsionar a companhia. “A estrutura regional significa que as decisões podem ser tomadas mais rapidamente no país, enquanto as funções globais significam que nossos clientes e corretores continuam a se beneficiar de nossa experiência e conhecimento globais”.

N.F.
Revista Apólice

Deixe uma resposta