EXCLUSIVO – Adquirir uma casa é um dos maiores sonhos do brasileiro. Comprar um imóvel próprio muitas vezes requer anos de dedicação, sendo necessário poupar dinheiro e abrir mão até do lazer da família. É fundamental que tamanho investimento seja protegido de situações inerentes ao dia a dia e é ai que o seguro residencial entra como um importante aliado.

O seguro residencial é uma das modalidades de proteção que oferece o melhor custo-benefício no mercado. Apesar de sua importância, já que um imóvel normalmente é o bem mais precioso de uma pessoa, o produto está longe de estar entre os mais conhecidos pela população.

Fazer um seguro é uma forma estar protegido contra incidentes, como roubos e incêndios, que dependendo do tamanho podem trazer inúmeros prejuízos para o bolso do proprietário e comprometer inteiramente o patrimônio construído.

O cálculo do preço da apólice leva em consideração o custo da reconstrução da casa e o valor real dos bens que o consumidor deseja segurar. Sendo assim, o preço é baseado no sinistro, que é o valor a ser pago pela seguradora caso ocorra algum imprevisto que afete o imóvel.

Segundo Ivan Marcos, superintendente de Seguros Massificados Tradicionais e Habitacional da Mapfre, “o seguro residencial possui ótimo custo benefício e o valor do prêmio é acessível. Uma apólice com coberturas básicas, por exemplo, custa em média R$ 400,00 ao ano para casas e R$ 200,00 para apartamentos. Além de proteger o patrimônio da família de imprevistos, ainda oferece benefícios para a manutenção do imóvel”, afirma.

Leia mais: Seguro residencial é um aliado do trabalhador informal durante crise

Grande parte dos planos básicos de seguro residencial oferece coberturas contra incêndios, queda de raios e explosões. Entretanto, o produto se destaca pela sua grande versatilidade. Existem diversas coberturas diferenciadas que podem ser contratadas de acordo com a necessidade do cliente.

É possível, por exemplo, se prevenir contra roubos, danos provocados por raios em aparelhos eletrônicos, enchentes, vendavais e granizo. Outras coberturas adicionais incluem quebra de vidros e a responsabilidade civil familiar, que cobre danos provocados por membros da família a terceiros.

Na Sompo Seguros, é feita uma inspeção prévia com um especialista em alguns casos para fazer a constatação dos bens segurados, o que evita o pedido de nota fiscal em caso de sinistro e facilita o processo. Para João Carlos França de Mendonça, diretor Técnico de Commercial Lines da companhia, “cada vez mais o consumidor tem a percepção de que o seguro é um item essencial de seu planejamento financeiro. Esse é um processo educacional, que vem sendo construído pelos players do setor por meio da atuação das entidades, seguradoras e nossos parceiros corretores de seguros”.

Contudo, algumas situações não estão cobertas pelo produto, como imóveis em construção, reconstrução ou demolição; casas de madeira desocupadas; pensões, repúblicas, cortiços, asilos, congregações; desaparecimento inexplicável ou simples extravio de bens; objetos que não pertençam ao segurado ou um dos moradores da residência.

Para Marcel Tornero, gerente de Ramos Elementares da Porto Seguro, contratar o produto é também uma forma de manter a saúde financeira do lar. “Além disso, o seguro residencial tem um valor bastante acessível e formas de pagamento bem flexíveis, que fazem com que sua aquisição seja feita facilmente. Portanto, ele sempre valerá o investimento”.

Nicole Fraga
Revista Apólice

Deixe uma resposta