Revista Apólice: Quais são os seus planos à frente do Sindicato das Seguradoras de São Paulo?
Rivaldo Leite: Para mim é um nova experiência. Mesmo completando 40 anos de atuação no mercado de seguros, trabalhar à frente da entidade será um novo desafio profissional. Inicialmente, estou entendendo as necessidades do mercado para que, em conjunto com o time de diretores, possamos avaliar oportunidades de novos projetos dentro do segmento.

Revista Apólice: Como pode ser a contribuição do Sindicato para a boa comunicação institucional com a sociedade?

Rivaldo Leite: Pretendemos dar sequência a alguns projetos já em andamento e criar formas de investir ainda mais na cultura do seguro e na propagação de sua importância na vida das pessoas.

Revista Apólice: Como você vê a situação atual do mercado de seguros, com a possibilidade de entrada de seguradoras de menor porte?

Rivaldo Leite: Eu vejo o mercado de seguros em um momento favorável, uma vez que a economia do país começa a dar sinais de melhorias e isso impulsiona o crescimento de novas empresas. Eu vejo a livre concorrência com bons olhos, uma vez que estimula a qualidade dos produtos e dos serviços, mas é fundamental termos regras igualitárias para todos, para manter uma concorrência saudável e sólida. Lembrando também da importância de se ter reservas técnicas.

Revista Apólice: Você acredita que a distribuição via corretor de seguros vai diminuir com a desrregulamentação da profissão?

Rivaldo Leite: Não, pois a profissão de Corretor de Seguros é super consolidada no País e tem um alto reconhecimento por parte da sociedade. É o Corretor de Seguros que tem o canal direto com os clientes e é capaz de auxiliar e indicar produtos e serviços que sejam importantes para cada perfil de pessoa.

Revista Apólice: Você acredita que os novos consumidores vão adquirir seguros de forma direta?

Rivaldo Leite: Não. O próprio mercado segurador não demonstra esse interesse, pois enxerga no Corretor de Seguros o profissional adequado e capacitado para realizar essa intermediação.

Revista Apólice: Há alguma indicação do Sindicato no sentido de instruir as seguradoras sobre quem serão os responsáveis pela comercialização dos produtos de seguros?

Rivaldo Leite: Hoje, existem algumas discussões sobre temas como esse. Entendo que os Corretores sejam os profissionais que se prepararam para essa atuação e que foram certificados para trabalhar no segmento de seguro e o mercado não abrirá mão de uma qualificação e certificação pelos órgãos competentes.

Revista Apólice: Como é o diálogo entre o Sindseg SP e a Susep?

Rivaldo Leite: O Sindseg sempre teve a premissa de dialogar com todas as entidades do mercado e vamos manter essa aproximação, inclusive com a Susep.

Revista Apólice: Quais são as perspectivas do mercado de seguros para 2020? Quais resultados são esperados?

Rivaldo Leite: As perspectivas são muito favoráveis. Como disse, a economia começou a apresentar melhores resultados, o que deve impulsionar vários setores, inclusive o de seguros. Vejo um crescimento de no mínimo 10% no mercado de seguros.

Kelly Lubiato
Revista Apólice

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta