EXCLUSIVO – A boca desempenha importantes funções para a saúde de todo o organismo. Além de exercer papel relevante na fala, mastigação e respiração, é a maior cavidade do corpo a ter contato direto com o meio ambiente, tornando-se uma das principais portas de entrada para bactérias e outros microrganismos prejudiciais à saúde.

O problema é que mesmo os procedimentos mais simples e baratos, quando executados com regularidade, podem acabar pesando no bolso. A melhor saída para quem está procurando evitar problemas dentários é, sem sombra de dúvidas, a adesão a um plano odontológico.

O número de beneficiários de planos odontológicos se manteve estável em novembro do ano passado quando comparado ao mesmo período em 2018. De acordo com dados da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar), foram registrados 47.223.963 usuário no País.

As perspectivas continuam positivas para 2020 e tudo indica que o segmento continuará crescendo, mantendo a trajetória dos últimos cinco anos. Segundo o departamento de Economia do Sinog (Sindicato Nacional das Empresas de Odontologia em Grupo), até o fim do ano 27,4 milhões de pessoas contarão com a cobertura de um plano odontológico. O número é maior que a população da Austrália.

“A conscientização sobre a importância da saúde bucal tem levado as pessoas a buscarem acesso ao cirurgião-dentista. Além disso, a segurança de ter uma cobertura ampla, com profissionais qualificados e com um ticket médio acessível nas diversas regiões do País, são fatores que vêm despertando o interesse da população”, afirma Geraldo Almeida Lima, presidente da entidade.

Litiza Bernardes Gonçalves, gerente Sênior de Produtos na Amil Dental, afirma que “por meio de um pagamento mensal, o beneficiário já tem cobertas às principais ocorrências, evitando, assim, gastos inesperados”. Ela reforça também que o sorriso proporciona mais bem-estar e confiança para apresentações em ambientes sociais e no trabalho.

Leia mais: Acesso aos planos odontológicos estimula maior cuidado bucal

No segmento de planos coletivos empresariais, o que está levando as companhias a oferecerem o benefício para os seus funcionários é o fácil acesso ao produto, já que existem coberturas a partir de R$ 20 reais. “Oferecer um plano odontológico é uma maneira de também reter os colaboradores, pois eles acabam se sentindo seguros e entendendo que a empresa está se importando com o seu bem estar”, afirma Claudio About, diretor Administrativo Financeiro do Inpao Dental.

Entretanto, apenas em 2019 a ANS recebeu quase duas mil reclamações de usuários insatisfeitos com os planos que contrataram, um índice 13,5% maior do que o registrado em 2018. Grande parte das insatisfações eram relacionadas aos serviços cobertos pelo plano.

“As operadoras estão investindo em tecnologia para realizarem diagnósticos e também na prevenção de fraudes e desperdícios que venham a diminuir seu desempenho no atendimento ao cliente. O momento que o setor vive é positivo e esperamos que continue nesse ritmo de crescimento, pois é fundamental que o povo brasileiro conte com o acesso a uma odontologia de qualidade”, ressalta José Cechin, superintendente executivo do IESS (Instituto de Estudos de Saúde Suplementar).

Nicole Fraga
Revista Apólice

Deixe uma resposta