EXCLUSIVO – As lideranças do mercado de seguro brasileiro se reuniram no Belmond Copacabana Palace, no Rio de Janeiro, para conhecer os vencedores do 9º Prêmio Antonio Carlos de Almeida Braga de Inovação em Seguros, promovido pela CNseg – Confederação das Seguradoras Privadas.

Solange Vieira, superintendente da Susep, fez uma aparição relâmpago, apenas para realizar um breve discurso aos presentes. Ela disse que ficaria “frustrada” caso o STF revogue a MP 904, que extinguiu o seguro DPVAT já a partir de 2020. “Falo em nome de quem é funcionária pública há 25 anos. As políticas públicas precisam ser revistas, porque os recursos públicos são limitados. Eu gostaria muito de ver este tema discutido pela sociedade. A Susep não vê um bom mecanismo de política pública neste produto, porque ele vê apenas o risco e não a renda de cada um dos contribuintes. Isso faz com que a população de baixa renda seja a mais prejudicada”. A matéria está em votação eletrônica no Supremo Tribunal Federal até a meia noite de hoje.

A superintendente também citou a A MP 905, afirmando que ela é revolucionária para o setor empresarial, porque busca flexibilização do mercado de trabalho. “A melhor política pública e social é dar emprego para as pessoas. Isso não existe sem empresários e economia forte. Nós, junto com o MP, entendemos que desregulamentação é positiva tanto para as seguradoras quanto para os corretores. A autorregulação é positiva para um mercado maduro que está pronto para isso”, sentenciou.

Para finalizar, Solange disse que desde que chegou à Susep seu objetivo é fazer o mercado crescer. “Acreditamos que isso será possível com mais transparência e redução de preços. “É obvio que o mecanismo de mudança exige a quebra de ovos, mas isso é fundamental para aumentar a cobertura de seguro do país”.

O presidente da CNseg, Marcio Coriolano, declarou em seu discurso que, no âmbito regulatório, a Susep fez jus ao prometido e vem renovando e inovando a sua agenda. “Foram várias as consultas públicas sobre temas relevantes. As medidas que não passram por essas consultas – a da extinção do DPVAT e a da desregulamentação da atividade de corretagem – estão sob escrutínio dos poderes legislativo e judiciário”. Coriolano acrescentou que a CNseg sempre teve propostas claras e transparentes paras esses temas estruturais, almejando um resultado que equilibre eventuais novos modelos com a experiência positiva acumulada pelo mercado securitário.

“O Governo vai exercer a sua prerrogativa de regulação do mercado”, disse Coriolano. Sobre o tema do mercado marginal, o presidente da CNseg relembrou que a entidade se manifestou sobre o mercado marginal. “Não adianta ficarmos com raiva. Contratamos uma consultoria que esmiuçou o tema, apresentamos o estudo para a Fenacor, Susep e para o Governo e apresentamos uma série de medidas a serem adotas. A mais relevante seria a votação do Projeto de Lei do deputado Lucas Vergilio para garantir a proteção da sociedade”.

Vencedores

Categoria: Produtos e Serviços

Em primeiro lugar, o projeto escolhido foi Idoso Bem Cuidado: Integração da cadeia de saúde como estratégia do cuidado, da SulAmérica Companhia de Seguro Saúde e de autoria da Katia Weber com coautores. Trata-se de um programa de promoção à saúde e prevenção de doenças para pessoas a partir de 65 anos, que envolve uma visão geral do paciente e propõe um modelo de atenção integral e personalizada.

Já o segundo e terceiro lugar também foram para a SulAmérica destinados aos projetos “Médico na Tela – Teletriagem médica por vídeo” e “Auto. Vc: Acelerar demais? Só na inovação”, criados, respectivamente, por Viviane Mathias e Patrícia Ornellas com apoio de coautores. O Médico na Tela é um serviço de teletriagem que possibilita interação entre beneficiários e médicos por meio de videochamada para tirar dúvidas rápidas em casos de baixa complexidade. Já o case Auto. Vc: Acelerar demais? Só na inovação usa aplicativos como de telemetria para monitorar a direção e o comportamento dos motoristas, que, se apresentarem boas práticas, podem receber brindes e descontos no seguro auto da SulAmérica.

Categoria: Comunicação

A medalha de ouro desta categoria foi para o case da Amil Assistência Médica Internacional. Desenvolvido por Eduardo Gil e coautores, o JurisHealth é uma multiplataforma com conteúdo educativo e informativo para esclarecer os principais temas que geram judicialização no âmbito de saúde suplementar (planos de saúde).

A prata foi para o projeto Dress CODE – Seu jeito, Sua Agenda da SulAmérica de autoria da Julia Nejaime e coautores. O case consiste no conjunto de ações realizadas para o lançamento do novo dress code (código de vestir) da seguradora com a intenção de garantir o alinhamento das equipes, aumentar o engajamento e impactar na retenção e atração de talentos a partir de uma mudança cultural na companhia.

Por fim, o bronze foi para a Liberty Seguros. Sob criação de Luiza Maia, o projeto Mulheres Seguras busca inspirá-las e capacitá-las para que tenham mais representatividade, presença no mercado e em cargos de liderança, e que conquistem cada vez mais salários melhores e justos.

Categoria: Processos e Tecnologia

O pódio máximo desta categoria foi para o case Solicitação de Medicamentos, desenvolvido por Paolo Marini e coautores da SulAmérica Saúde. O projeto busca melhorar a experiência do beneficiário que realiza tratamento com medicamentos especiais, além de trazer acolhimento, transparência, segurança e qualidade nos processos.

O segundo lugar ficou com a Seguradora Líder com o projeto Novo Modelo de Prevenção e Combate a Fraudes de autoria da Mariza Trancho e coautores. A meta é garantir à seguradora meios mais eficientes para o gerenciamento dos riscos de fraude em processos de indenização de sinistros do Seguro DPVAT e, assim, potencializar a sustentabilidade do produto, principalmente com foco no beneficiário.

Já o projeto Venda Digital, criado por Bruno Ferreira e coautores, consagrou-se em terceiro lugar representando a Mongeral Aegon Seguros e Previdência. A inovação desenvolvida foi a digitalização do processo de venda atual, que utiliza formulários, guias e folders em papel, em uma solução digital simples, integrada e eficiente, que melhore os processos internos e oferece dinamismo.

 

Kelly Lubiato
Revista Apólice

Deixe uma resposta