No acumulado do ano até setembro, o setor segurador repetiu a alta de dois dígitos pelo terceiro mês consecutivo, atingindo desta vez a marca histórica de 12,3%, segundo o presidente da CNseg, Marcio Coriolano, em editorial da Conjuntura CNseg nº 13. No comparativo de setembro sobre o mês do ano passado, a evolução de prêmios foi ainda maior, alcançando 18,6%. Em valores, os prêmios do setor alcançaram R$ 196,6 bilhões nos nove primeiros meses do ano (sem saúde e DPVAT). No resultado dos 12 meses encerrados em setembro, a expansão foi de 8,9%, bem perto da projeção otimista de crescimento elaborada pela entidade.

Os planos de risco avançaram 15,6% (R$ 32,2 bi), ao passo que os planos de acumulação (VGBL e PGBL ) registraram alta de 16,9% (R$ 89,2 bi) e capitalização, 12,1% (R$ 17,4 bilhões). A expansão do setor só não foi maior porque o segmento de danos e responsabilidades manteve uma taxa de crescimento mais reduzida. Nos nove primeiros meses, sua alta foi de 5,3%. Esse comportamento tem relação direta com o desempenho fraco das vendas do seguro de automóvel, a principal carteira do segmento de danos e responsabilidades.

“No caso dos planos de riscos, a expansão confirma a procura de proteção de vida, contra acidentes e doenças. No caso da previdência, já pode ser efeito da aprovação da reforma da previdência no Congresso e a percepção de que as pessoas terão de constituir fundos para a aposentadoria com recursos próprios, pensando na manutenção da qualidade de vida e padrão de renda na aposentadoria”, explicou Coriolano.

Leia mais: CNseg lança glossário do seguro digital

N.F. 
Revista Apólice

Deixe uma resposta