Ao entendermos o significado do substantivo feminino instância, compreendemos a razão de termos hoje um Brasil em 1ª instância. Então, vejamos: “Instância é a qualidade do que é inevitável e iminente, ou seja, que está propício a acontecer a qualquer momento ou algo que está próximo de ocorrer. O substantivo instância ainda pode ser referente ao que é feito de modo perseverante e persistente, como a solicitação de algo com veemência, firmeza e empenho.”

Grande parte da sociedade está indignada com a última decisão do STF (Superior Tribunal Federal) com relação ao fim do cumprimento da pena já em “2ª instância”. Os debates estão acalorados e, mais uma vez, polarizando a maioria lúcida e cumpridora de seus deveres, contra aqueles cujas condutas e hábitos de vida são exatamente o oposto.

Portanto, pretendo me dirigir àqueles que, feito eu, têm valores e princípios enraizados em seus “eus”, que não se abalam, nem muito menos se deixam levar ou mudar por aqueles que buscam, por meio de atos que afrontam as leis e a moral, e sua pretensão de demonstrar que estes atos são o “atalho” para a conquista de riquezas e poder. Felizmente, a sociedade, de forma geral, é suficientemente bem formada por orientações trazidas do seio de suas famílias, da educação recebida por pais, avós, que durante nossas infâncias nos transmitiram exemplos de vitórias e progressos pautados em lutas limpas e dignas, que se transformaram em histórias das quais nos orgulhamos de contar às gerações sucessoras em cada encontro, reuniões de família e amigos.

Alexandre Camillo

É por isso que acredito que o Brasil está em “1ª instância”. Como vimos, instância é “a qualidade do que é inevitável e iminente, aquilo está propício a acontecer a qualquer momento ou algo que está próximo de ocorrer.” Ou seja, se não desanimarmos, não desistirmos, muito menos nos afastarmos dos princípios éticos, é inevitável, iminente e próximo de acontecer o reencontro do Brasil com o que é certo, justo, perfeito a toda a sociedade e a todos nós, brasileiros.

Há pouco mais de um ano, de forma cívica e democrática, tivemos a oportunidade de escolher qual caminho queremos trilhar. Escolhemos quem seriam aqueles que, com suas intenções, caráteres e valores pessoais, desejávamos que conduzissem os rumos da nação, e assim está sendo. Os resultados não têm como ser imediatos e nem podemos exigir isso, ainda mais com tantas situações a serem acertadas, tais como reformas, orçamentos etc. Aliás, imediatismo é a porta ao populismo, à mentira, àqueles que pregam o que vão fazer e nada fazem de fato.

Não desistamos, o Brasil pede passagem para trilhar o seu futuro de desenvolvimento pautado no respeito a este nosso povo, com tantas histórias de lutas e dignidade transmitidas de geração a geração entre nossas famílias. Não é hora para polarizar, isto é tolice. É hora de nos mantermos fiéis aos nossos costumes de correção, honestidade e respeito ao próximo, esta é a melhor e verdadeira resposta a tudo e a todos. Sejamos fortes, que o Brasil da 1ª instância irá prevalecer, porque é isso o que nós, a sociedade do bem, queremos e buscamos.

*Alexandre Camillo, presidente do Sincor-SP 

Deixe uma resposta