Colaboradores da Argo Seguros interromperam suas atividades na manhã desta terça-feira, dia 26 de novembro, para promover o bem. Eles entregaram presentes de Natal para 64 velinhos da Casa Ondina Lobo. A instituição, sem fins lucrativos, acolhe idosos que não possuem recursos pessoais e estrutura familiar de sustentação que permita sua manutenção.

A relação entre as duas organizações começou em setembro, quando a seguradora ampliou sua decidiu amparar uma casa de acolhida de idosos. Com essa parceria, a companhia tornou-se uma “Empresa Amiga da Melhor Idade”, junto a ONG. Desde então, vem sendo realizadas algumas ações em prol desta entidade.

Em outubro, por exemplo, uma campanha interna arrecadou cerca de 700 quilos de sabão em pó, quantidade suficiente para abastecer a instituição por aproximadamente três anos. Recentemente, no começo de novembro, foi promovido e patrocinado pela seguradora o apadrinhamento de um idoso por colaborador. Cada um esteve pessoalmente na entidade para escrever a “cartinha para o Papai Noel” e assim conhecer, conversar e descobrir o que cada um deles mais gosta.

Argo Seguros cresce 18% no primeiro semestre

A entrega dos respectivos presentes e a confraternização com os apadrinhados aconteceu nesta terça-feira (26), numa ação que sensibilizou toda a companhia. “As ações que promovemos confirmam a grande identificação que as pessoas dentro da companhia tem em abraçar causas que impactam positivamente a vida do outro”, destaca o CEO e presidente da empresa, Newton Queiroz.

Além dessas duas ações com a Casa Ondina Lobo, a organização promoveu este ano uma doação de alimentos para a ONG “Anjos da Cidade”, que entrega mantimentos a moradores de rua da capital paulista; e criou o projeto David Sousa, que visa realizar o sonho do paracilista em se tornar um paratleta olímpico.

“Aqui na Argo temos um histórico de envolvimento dos nossos colaboradores em várias campanhas. Já arrecadamos lacres de latinhas, alimentos e brinquedos. Recentemente, 30% da empresa participou de uma campanha de doação de sangue”, ressalta Juliana Begnami, head de RH.

N.F.
Revista Apólice

Deixe uma resposta