Alinhada com a reestruturação global em sua área de Energy, que visa dar suporte à expansão do setor de energia mundialmente, a Zurich no Brasil retomou a comercialização do seguro de Property para as usinas de geração de energia elétrica. A estratégia, de acordo com a política de Climate Change do Grupo, incentiva o desenvolvimento de energias renováveis e visa contribuir para a redução do uso de carvão mineral e, consequentemente, com as emissões de gases de efeito estufa no planeta. Essa política é aderente ao Acordo de Paris, de 2015.

O produto cobre danos materiais e/ou lucros cessantes, caso ocorra algum acidente nas dependências de usinas de geração de energia elétrica em operação. O produto é destinado a produtores independentes, concessionárias e usinas de propriedade estatal. Traz como principais coberturas: danos materiais, incêndio, queda de raio, explosão, danos elétricos, quebra de máquinas, queda de aeronaves, danos da natureza e lucros cessantes.

Há também diversas coberturas adicionais que podem ser contratadas na apólice, de acordo com as particularidades de cada usina geradora de energia. A proteção pode ser estruturada na modalidade de Riscos Operacionais, com cobertura do tipo all risks, ou Riscos Nomeados.

“O seguro garante, em caso de acidente com dano material súbito e imprevisto, o reparo ou reposição do bem sinistrado para que a usina volte a operar nas mesmas condições de antes da ocorrência. Em caso de cobertura de lucros cessantes, visa mitigar a perda de receita com a interrupção da produção de energia”, explica Fábio Tulmann, head de Property e Energy da seguradora no Brasil.

Leia mais: Zurich promoveu encontro em Goiânia com corretores e parceiros

Outro diferencial do seguro para usinas de geração de energia é contar com o suporte da engenharia de riscos durante a vigência da apólice. Após uma inspeção no local, os engenheiros especialistas em Power Gen elaboram um relatório de avaliação de riscos envolvendo danos materiais, quebra de máquinas e lucros cessantes. A partir disso, serão apontados os principais fatores de riscos que auxiliarão a direção da usina no gerenciamento dos principais riscos analisados. “Com base nisso, os profissionais podem propor sugestões alinhadas a normas internacionais e melhores práticas industriais do setor de energia”, afirma o executivo.

Adicionalmente, a área de engenharia de riscos poderá acompanhar a implementação das melhorias sugeridas e disponibilizará o serviço de consultoria para discutir futuros projetos, bem como novas ideias e soluções visando a operação segura das usinas.

Ainda de acordo com Tulmann, a Zurich retomou a comercialização do produto porque que a geração de energia elétrica tem um papel fundamental para suportar o crescimento populacional e o desenvolvimento de novas tecnologias. O Brasil, com suas dimensões continentais, tem um potencial muito favorável para a produção de energias renováveis.

“Com o retorno da área de Energy no Brasil, a empresa fortalece ainda outras linhas de negócio, como a de Riscos de Engenharia (Construção) e Responsabilidade Civil, pois permite que um segurado mantenha o seguro desde a fase de construção até a operação da usina, evitando gaps de cobertura com a troca da seguradora”, completa o executivo.

N.F.
Revista Apólice

Deixe uma resposta