A Sompo Seguros, como parte de seu Programa de Ética e Compliance, estabeleceu um cronograma com uma série de palestras e treinamentos voltados tanto à atualização de colaboradores, quanto para disseminar a cultura do compliance entre fornecedores e parceiros de negócios em diversas localidades do Brasil, a exemplo de corretores de seguros, oficinas parceiras de reparo automotivo, etc.

“A empresa conta com um programa estruturado de Ética & Compliance, bem como com procedimentos de comunicação e disseminação da cultura de compliance, o que inclui procedimentos e valores éticos esperados de nossos colaboradores e parceiros de negócios”, afirma Cesar Cassio de Rienzo, superintendente de Compliance da companhia. “As atualizações voltadas aos colaboradores por meio de e-learning, treinamentos presenciais e eventos internos ou encontros periódicos dos agentes de compliance já fazem parte da rotina da equipe da área e são atualizadas e incrementadas anualmente. Já a intensificação das ações voltadas a corretores de seguros e fornecedores integra nossa estratégia de atuação ética e responsável, que também nos permite estar cada vez mais próximo dos parceiros de negócios, compartilhando valores e esclarecendo diretrizes com transparência”, destaca o executivo.

Leia mais: Sompo lança serviço que conserta danos em veículos em até duas horas

Com a demonstração de ferramentas e iniciativas para prevenção a fraude e corrupção, a seguradora destaca a relevância dos profissionais da cadeia produtiva do mercado de seguros estarem cientes sobre como a condução dos negócios podem expor tanto a própria empresa como seus parceiros a riscos de responsabilidade legal ou de imagem. Os programas de compliance, quando devidamente instituídos, viabilizam a identificação antecipada de eventuais problemas de conduta, o que permite prevenir riscos e até constatar situações de não-conformidade em outras organizações, por exemplo. Isso resulta numa redução substancial de custos e contingências, além de trazer mais eficiência e conscientização entre funcionários. Como resultado, a empresa tende a registrar uma melhora nos índices de governança e percepção positiva da reputação da organização.

“O principal objetivo das iniciativas voltadas aos parceiros é disseminar a cultura do compliance, estabelecer um alinhamento e aproximação maior com essas empresas e profissionais e garantir a transparência e conhecimento dos valores da companhia. Também sempre salientamos a importância das práticas relacionadas a ética e integridade que devem ser observadas. Afinal, esses parceiros nos representam e precisam estar em linha com o acreditamos”, conclui Rienzo.

Na agenda de eventos a serem promovidos pela empresa até o final do ano estão palestras sobre prevenção e combate à fraude em sinistros, impactos da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), controles internos, canais de denúncia, o valor de estar em compliance no mercado de seguros, compliance voltado a prestadores de serviços na área de sinistro automotivo, entre outros.

Vale ressaltar que o programa da seguradora foi desenvolvido segundo as mais atualizadas práticas internacionais e em respeito à legislação vigente, à exemplo da Lei nº 12.846/2013 (também conhecida como Lei Anticorrupção), do decreto 8.420/15 e da circular 249/2004 da Susep. Segundo a Pesquisa Maturidade do Compliance no Brasil, feito pela consultoria KPMG, 61% dos respondentes afirmaram que os terceiros não receberam treinamentos de compliance e anticorrupção nos 12 meses anteriores. Foram consultados diretores da área de compliance de 450 empresas de diversas indústrias, capturando suas percepções quanto à maturidade do programa em suas companhias.

N.F.
Revista Apólice

Deixe uma resposta