Inovação é necessária para o crescimento de qualquer empresa e, para isso, é importante que se invista em tempo e conhecimento. Após verificar a mudança no comportamento de seus clientes, os irmãos Reinaldo e Luiz Gustavo Zanon decidiram investir em inteligência artificial para atender o consumidor final.

Com mais de 1500 franqueados, a demanda por serviços é muito grande. Por isso, a Seguralta criou o primeiro seguro de automóvel sob demanda do país que estará disponível a partir de outubro deste ano para o consumidor final.

O OBD2 é um dispositivo capaz de captar as informações de telemetria de um veículo e transmiti-las através de um aplicativo e a seguradora Usebens foi a parceira escolhida pela empresa para colocar o produto no mercado.

Leia mais: Rede Seguralta atinge produção acima de R$ 180 milhões

Neste produto, o cliente vai pagar pela forma e o quanto ele dirige. Quem dirige bem tem desconto e quem anda pouco também. Luiz explica que “inicialmente é solicitado um perfil do cliente e ao longo do tempo, com as informações do veículo, é possível ajustar o que é risco e o que é perfil do usuário”. Com essa análise feita pela inteligência artificial, é possível saber o horário em que o carro foi utilizado, onde ele está circulando e a conduta do motorista.

“O mais legal dessa tecnologia é o contato que teremos com o cliente. Ao utilizar o produto, ele também estará recebendo dicas, descontos para abastecer em postos entre outras coisas. O produto é um customer experience”, comenta Gustavo.

Parceria com a Usebens

Reinaldo afirma que a empresa foi a melhor escolha para colocar o produto no mercado. “Eles estão preparados para essa nova tecnologia, já estão precificando em tempo real e utilizando as informações dos motoristas e quanto isso impacta no valor do seguro”, afirma.

Além de saber sobre o gastos e descontos, o segurado terá à sua disposição outras informações como: momento para trocar óleo, fluídos ou até mesmo o pneu. Mas os empresários alertam que o equipamento não faz o rastreio do veículo em tempo real, apenas em caso de roubo ou furto. Porém, há mecanismos capazes de emitir alertas para a seguradora em casos de forte impacto e assim, acionar automaticamente o serviço de assistência.

O programa piloto já está rodando entre os franqueados da rede e em outubro estará disponível para o consumidor final.

N.F.
Revista Apólice

Deixe uma resposta