O número de ocorrências envolvendo motos acima de 200 cilindradas cresceu 24,21% no primeiro semestre de 2019, comparado com igual período do ano passado, segundo dados do Grupo Tracker. Na comparação entre o 1º e o 2º trimestre deste ano, a alta foi de 22,64%.

Por se tratar de motos mais potentes, a maior incidência de crime é nos fins de semana (entre sexta-feira e domingo) e no período entre 17h e 23h, horário de maior exposição dos veículos. Os delitos de roubo correspondem a 82,3% do total, contra 17,7% de furto. “Número este que indica o despudor dos criminosos que praticam este crime. Isso se dá pelo fato das motocicletas serem veículos de ostentação dos criminosos.

Os delitos de roubo correspondem a 82,3% do total, contra 17,7% de furto. “Número este que indica o despudor dos criminosos que praticam esta ação. As motos equipadas com rastreadores do Grupo Tracker são homologadas, o que concede maior chance de rastreamento. “Uma equipe de especialistas faz um estudo técnico do modelo, para garantir um local de instalação, visando especificamente manter elevados os índices de recuperação. Atualmente são 237 motos homologadas, nas categorias speed, naked, custom, trail”, afirma o gerente de Marketing & Produtos, Rodrigo Rufca.

G.R
Revista Apólice

Deixe uma resposta