O mercado de seguros está estabelecido no Brasil faz algum tempo. Porém, cada vez mais, a tecnologia é incorporada para tentar minimizar incertezas e potencializar a eficiência das seguradoras tradicionais.

De acordo com dados revelados pela Associação Brasileira de Startups (ABStartups), o número saltou de 70 para 220 nos últimos três anos. Vendo essa mudança no mercado, corretoras de seguro com mais de 40 anos de experiência apresentam dinâmicas diferenciadas com o objetivo de melhorar seu desempenho. É o caso da Visafran. A corretora incorporou alguns meios mais otimizados para os seus clientes, como é o caso do aplicativo. Nele, é possível obter todas as informações sobre o seguro, com eficiência e praticidade.

“A tecnologia é algo que veio pra ficar e está à nossa disposição para mudar os processos de atendimento e para melhorar o atendimento ao cliente, no que diz respeito à qualidade da informação e no canal apropriado que o cliente deseja ser atendido. A automatização desses processos e os investimentos em tecnologia são necessárias para conseguirmos andar na frente dos concorrentes e nos dá um diferencial importante, fazer com que os demais corretores corram atrás das nossas mudanças e novidades”, afirma Rogério Moisés, sócio-diretor da Visafran.

A concorrência com as insurtechs é uma forma de fazer com que todo o segmento progrida para enfrentar a entrada desses novos ares em um ambiente que já estava consolidado.

Leia mais sobre: Qual deve ser a real missão do corretor de seguros?

“Nosso site passa por constantes mudanças e aprimoramento institucional, investimos na criação de nosso app onde o cliente tem na palma da mão seus seguros, parcelas, vencimentos e a cópia das apólices em PDF para consulta a qualquer tempo e ocasião, bem como os 0800 dos serviços disponíveis ao seu produto e como usá-los”, esclarece o executivo.

Esse tipo de dinâmica por parte das empresas é ressaltada, principalmente, pela necessidade demandada pelos clientes. Afinal, atualmente, com todos os serviços on demand, ter à disposição canais de contato e atendimento constante também se faz necessário em corretoras. Com isso, cresce a indispensabilidade de construção de sites, blogs e mídias sociais – o chamado SAC 2.0. Dados divulgados pelas empresas We are Social e Hootsuite no relatório “Digital in 2018: The Americas”, observam que 62% da população brasileira está ativa nas mídias sociais e 58% já buscou um serviço ou produto online.

Uma importante mudança de comportamento que precisa ser observada por quem deseja se manter no mercado. Com a corrida contra o tempo para alcançar a tecnologia e todo esse movimento, uma coisa não sai de moda nunca. A qualidade no atendimento com os clientes, com ou sem aplicativo, a boa comunicação em primeiro lugar.

G.R
Revista Apólice

Deixe uma resposta