A Procuradora-geral da República, Raquel Dodge, recebeu das mãos do vice-presidente de Relações Institucionais da Fenacor, deputado Lucas Vergilio (SD-GO), um ofício com  pedido de adoção urgente de medidas enérgicas contra a atuação irregular das associações e cooperativas de proteção veicular.

O documento aponta os mesmos riscos que o parlamentar já havia apresentado, há dois meses, ao ministro da Justiça, Sérgio Moro, com quem esteve, acompanhado pelo presidente da Fenacor, Armando Vergilio. Na ocasião, ambos sugeriram ao ministro a criação de uma Comissão Especial visando “investigar e analisar essa ação criminosa e os diversos impactos negativos e perniciosos para a sociedade e para a economia nacional”.

Nos dois encontros, o congressista alertou sobre a séria ameaça que ronda a sociedade brasileira, principalmente as camadas da população de menor poder aquisitivo, diante da facilidade encontrada pelas associações de proteção veicular de atuarem mesmo estando totalmente a margem da lei.

O deputado também relembrou para a Procuradora-geral da República que algumas associações foram, inclusive, flagradas em negociações com milicianos e traficantes do Rio de Janeiro para que os carros roubados fossem devolvidos mediante pagamento de “resgate”.

Leia mais sobre:Proteção veicular não dá direitos ao consumidor

Esses acordos tiveram como consequência imediata o aumento do volume de roubos de veículos em algumas regiões muito pobres daquele estado, ao estimular o roubo de carros pelo crime organizado para posterior negociação com as associações de proteção veicular.

Por fim, Lucas Vergilio elogiou e agradeceu o engajamento de lideranças do mercado de seguros, principalmente dos corretores, na defesa da sociedade contra essas associações irregulares. “Espero um engajamento maior das seguradoras para que tenham mais chance de êxito a nossa missão e o nosso compromisso com a sociedade brasileira”, enfatizou.

G.R
Revista Apólice

Deixe uma resposta