A Indra desenvolveu um novo sistema com foco em proteção de celulares contra o roubo de informações sensíveis. Destinada principalmente para órgãos públicos e empresas, a ComSec recentemente foi adotada pela administração espanhola como forma de minimizar o roubo de informações.

A solução se diferencia por ser simples e fácil de utilizar. É compatível com qualquer sistema operacional e modelo de smartphone ou tablet e criptografa comunicações de voz, mensagens e arquivos enviados. Além disso, permite estabelecer chamadas de vídeo e criar salas de comunicação para manter as reuniões seguras.

Isso só é possível porque a companhia fornece uma oferta integrada de segurança, com um serviço de inteligência e segurança cibernética. Pontos como a configuração do telefone, conexões, grau de vulnerabilidade, permissões concedidas a aplicativos instalados e outras variáveis são constantemente monitorados pela companhia, com o objetivo de detectar imediatamente se há um malware instalado ou se a segurança está de alguma forma ameaçada.

Leia mais sobre:Proteção cibernética: inovação, diferenciação e engajamento

“Isso estabelece uma autêntica “biometria comportamental” com a qual é possível detectar se o aparelho móvel foi roubado ou se há terceiros acessando-o”, afirma a companhia.

Hoje, a solução está instalada nos celulares de mais de 12 mil profissionais do setor público e privado. O uso não tem restrições e pode ser feito até mesmo por pequenas e médias empresas.

“Em uma invasão, controlar a câmera e o microfone do celular pode fornecer acesso direto a reuniões de trabalho e negociações com clientes. Acessar à memória permite saber todas as chamadas realizadas, sua duração, as reuniões planejadas na agenda, os arquivos recebidos, imagens guardadas e também possibilita realizar o rastreamento da posição da transportadora”, destaca a empresa.

G.R
Revista Apólice

Deixe uma resposta