Nesta terça-feira, 28 de maio, são celebrados o Dia Internacional de Luta Pela Saúde da Mulher e o Dia Nacional de Redução da Mortalidade Materna, datas que alertam para a importância da medicina preventiva na saúde feminina. Reforçando seu compromisso com o tema e conscientizando a sociedade para os possíveis problemas de saúde que as mulheres podem enfrentar, o Porto Seguro Saúde apresenta três dicas importantes destinadas para que elas se mantenham saudáveis fisicamente, mentalmente e emocionalmente.

Previna-se de doenças crônicas

De acordo com dados do Ministério da Saúde, o Acidente Vascular Cerebral (AVC) e as doenças cardíacas isquêmicas são as principais causas de morte da população feminina brasileira entre 30 e 69 anos.

Dentre as cinco principais causas de óbitos, quatro possuem fatores de risco em comum: tabagismo, atividade física insuficiente, uso nocivo do álcool e falta de alimentação saudável. Por isso, não fume, mantenha uma alimentação saudável, pratique atividades físicas regularmente, procure controlar o preso e adotar práticas para o gerenciamento do stress. Além disso, é fundamental manter uma rotina de consultas e exames preventivos.

Cuide da sua saúde sexual

Segundo o Ministério da Saúde, a sexualidade engloba um conjunto de aspectos que envolvem o prazer, o desejo, a ternura e o amor. Como definição, saúde sexual nada mais é que ter uma vida sexual prazerosa e segura, através das informações para prevenção das DST’s. Por isso, é fundamental que a mulher, independentemente da idade, realize os exames preventivos e consulte-se regularmente com o ginecologista, além, é claro, de manter os cuidados com a higiene íntima e prevenir-se de doenças e infecções sexualmente transmissíveis, especialmente pelo uso da camisinha.

Se você tem o desejo de ser mãe, planeje e vivencie uma gestação saudável

O planejamento reprodutivo é um importante recurso para a saúde das mulheres, pois além de contribuir para uma prática sexual mais saudável, possibilita um intervalo seguro entre as gestações e a recuperação do organismo após o parto. Além disso, o planejamento colabora para as melhores condições para a mulher cuidar dos filhos e realizar outras atividades.

Além dessas dicas, é importante ficar atenta, dentre outras situações, com relação ao seu calendário de vacinação. Não é só porque você atingiu a idade adulta que não é mais necessário se vacinar. O Calendário Nacional abrange não apenas a vacinação de crianças, mas todas as idades. Dentre os exemplos que podem ser citados, estão a vacina contra o HPV, que permite proteção já entre as adolescentes, e a vacina DTPA, destinada às gestantes – ambas que contribuem para a prevenção do câncer do colo de útero.

G.R
Revista Apólice

Deixe uma resposta