Durante a semana passada, a Omint esteve presente no evento Global Summit – Telemedicine & Digital Health, promovido pela Associação Paulista de Medicina (APM), representada pelo seu diretor Médico Técnico, Marcos Loreto. As discussões sobre telemedicina acadêmica, com foco na estruturação de um ecossistema de saúde digital integrando fundamentos acadêmicos com serviço privado, a fim de garantir a humanização do atendimento médico, foi a tônica da apresentação da empresa. Em consonância com Chao Lung Wen, chefe da Disciplina de Telemedicina do Departamento de Patologia da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP), Loreto ainda ressaltou a importância da parceria com a área acadêmica para a viabilização dessa proposta.

A empresa, por meio da plataforma Omint Digital, procura estabelecer o novo ecossistema digital dentro da logística de saúde. “O projeto tem o objetivo de ser mais do que um simples serviço de teleorientação clínica. Ele representa uma evolução no atendimento médico proporcionando solução e conforto ao paciente na tomada de decisão e, desta forma otimiza, recursos. Ele ainda integra os serviços de teleavaliação, atendimento domiciliar e encaminhamentos referenciados quando necessário, cobrindo toda a cadeia de cuidados”, declarou Loreto.

Ao falar sobre a prática responsável da telemedicina, Loreto ressaltou que, graças à orientação e supervisão da Disciplina de Telemedicina FMUSP para desenvolvimento do Dr. Omint Digital, “a operadora incorporou um método acadêmico de serviço na plataforma de teleprimeira avaliação pediátrica na operadora de saúde”. “A parceria acadêmico-privada facilita o trabalho de forma interconectada, fomentando a inclusão de telemedicina na formação da equipe médica, profissionais de saúde e TI com qualidade e eficiência. É papel das instituições de ensino e pesquisa formar profissionais que façam uso responsável dos recursos tecnológicos para melhorar a qualidade dos cuidados para as pessoas. Desta forma, promovemos a transferência de conhecimentos para a sociedade e o desenvolvimento social responsável”, pontuou Chao.

Já ao repercutir experiências exitosas em telemedicina e saúde digital, em uma mesa com outras operadoras e companhias que praticam a Telemedicina, Loreto falou sobre o case do Dr. Omint Digital na teleavaliação pediátrica. “Telemedicina é mais do que uma ferramenta, uma vez que deve operar como uma plataforma logística integrada. É uma evolução da triagem”, argumentou, acrescentando: “como o Chao já mencionou, a parceria acadêmica e privada em prol da telemedicina, trabalha com o objetivo de trazer humanização e eficiência. Ela deve ser viabilizada como um ecossistema de saúde que conecta academia, governo, sociedade e iniciativa privada, com o objetivo de trazer eficiência, qualidade, segurança, sustentabilidade e, acima de tudo, humanização ao atendimento médico”.

Ao finalizar, Loreto ressaltou a importância da telemedicina proporcionar a integração de uma série de recursos interativos. “Nosso foco é ampliar o cuidado médico, jamais substitui-lo”, completou.

M.S.
Revista Apólice

Deixe uma resposta