A recente pesquisa The View, conduzida pela Euler Hermes, acusou que, em 2019, duas a cada três empresas no mundo deverão apresentar aumento no número de inadimplência e que a falência de alguns negócios deverão apresentar crescimento pelo terceiro ano consecutivo.

Apesar do Brasil, assim como os Estados Unidos, destacar-se como um dos poucos países que não seguem essa tendência pessimista em comparação ao resto do mundo, Luciano Mendonça, diretor comercial da Euler, reuniu alguns sinais que podem indicar um futuro caso de inadimplência. “Estar atento a esses detalhes pode auxiliar empresários de qualquer segmento a se prevenirem contra a falta de pagamento de seus clientes”. afirma Mendonça.

Adiamentos e desculpas

Os primeiros alertas vêm normalmente por meio de atrasos em pagamentos e o não cumprimento de condições de crédito. Problemas no fluxo de caixa deverão vir acompanhados de desculpas e recorrentes pedidos de extensão. “Solicitações de mudança nos prazos de pagamento são aceitáveis em qualquer empresa, porém quando isso se torna um padrão, temos um forte indício de que problemas  estão ocorrendo”, explica Mendonça. O caso merece atenção redobrada e medidas mais firmes em caso de falta de retorno por parte do cliente após diversas tentativas de contato.

Decisões questionáveis de compra e venda

“Digamos que seu cliente tenha realizado uma grande transação para um comprador de índole duvidosa. Fique atento. A falta de uma política de crédito por parte do seu cliente pode refletir a maneira como ele irá exercer seus pagamentos”. Compras que fogem do padrão normal de forma drástica também demonstram que algo não está indo bem. O diretor explica que “aumentos ou diminuições muito grandes no volume de compra devem ser analisados e questionados”.

Prejuízos à reputação

Caso a empresa não esteja cumprindo com suas obrigações, outros fornecedores também deverão sofrer com a inadimplência. “É possível monitorar a imprensa especializada, sites de avaliação e redes sociais do setor e da empresa devedora em busca de notícias ou reclamações.” Constantes verificações de crédito de instituições financeiras diferentes também são um sinal de alerta. “Isso pode significar que a empresa está com problemas para pagar seus fornecedores ou desesperada para cobrir perdas”.

Novidades

Novos processos financeiros, como financiamentos ou mudanças de bancos, ou ainda trocas na administração, podem sinalizar problemas no horizonte. “A mudança de banco pode se dar porque o banco atual não está mais concedendo crédito”, completa Mendonça. Mudanças administrativas muito drásticas ou que não parecem alinhadas com o histórico da empresa também podem ser um sinal de risco.

N.F.
Revista Apólice

Deixe uma resposta