A expectativa em torno da reforma nas aposentadorias proposta pelo Governo Federal aumentou o interesse pelos planos privados por parte de muitos brasileiros, em busca de mais detalhes nas agências de investimentos do país. Por ser um tema repleto de particularidades, muitas dúvidas surgiram no momento dessas pessoas decidirem por que e em qual modalidade é possível investir para melhor se proteger para o futuro. Para dar mais suporte de informações na hora de fechar negócio, um grupo de especialistas desenvolveu o Otto, um sistema de inteligência artificial (IA) especializado em previdência privada, que é capaz de auxiliar o mercado financeiro no esclarecimento de questões sobre o assunto.

A ideia do sistema é proporcionar suporte aos profissionais da área de investimentos, que recebem segurados dispostos a incrementar e até migrar do regime geral do INSS para o privado como forma de garantir um valor maior da sua aposentadoria, pois muitos desses assessores financeiros têm pouco conhecimento em relação a esse conteúdo. Para seu desenvolvimento, foram investidos até o momento cerca de R$ 700 mil.

Desenvolvido pela ViaCognitiva, o Otto chega em um momento em que o mercado registrou um crescimento do interesse pelos planos privados. Só em fevereiro, quando a reforma da previdência foi apresentada pelo Governo, a quantidade de consultas sobre a previdência privada aumentou quase 15 vezes em relação a igual período do ano passado.

Foram 987 mil buscas contra 66 mil no mesmo mês de 2018, de acordo com um levantamento feito por um importante buscador de aplicações financeiras atuante no Brasil. No País, cerca de 13,1 milhões de pessoas têm planos privados, de acordo com a FenaPrevi. No ano passado, houve um crescimento de 10,54% nas reservas relacionados a esses planos, se comparado com o ano anterior, e chegou a R$ 836 bilhões.

Construído baseado em chatbot – programa com capacidade de aprender com a interação junto aos usuários -, o Otto conta com um sistema em nuvem que tem armazenado mais de 300 intenções de perguntas e respostas. Essa quantidade pode crescer a cada dia, conforme o surgimento de mais dúvidas sobre o tema. O idealizador do serviço, Alexandre Melo, explica que a tecnologia aprende constantemente conforme seu uso, por meio do “aprendizado de máquina”, ou machine learning em inglês.

“A iniciativa vai auxiliar bancos, escritórios, corretoras e agentes autônomos de investimentos nas suas prospecções. Será um gerador de novos clientes, além de oferecer uma base de consulta de todas as dúvidas que surgem dos interessados”, esclarece Melo. Ele destaca ainda que o sistema irá oferecer um serviço para essas instituições financeiras que, por sua vez, concederão acesso gratuito aos seus potenciais e atuais consumidores. O sistema levou oito meses para ser desenvolvido e, até seu lançamento, os idealizadores já fizeram testes em alguns escritórios de investimentos de São Paulo.

Como surgiu a ideia

A ideia de criar o serviço nasceu após uma pesquisa junto a alguns escritórios de investimento parceiros da Via Cognitiva. O nome Otto foi dado em homenagem a Otto von Bismarck, chanceler austríaco que criou o primeiro sistema de previdência público em 1880. “A partir daí, esses escritórios apontaram a importância e a necessidade de terem um especialista em previdência privada”, detalha Carol Volcov, especialista com grande experiência em previdência privada do Otto.

M.S.
Revista Apólice

Deixe uma resposta