A obrigatoriedade dos transportadores de averbar todos os embarques antes do início do risco também nas apólices de RCF-DC foi reforçada com a Circular Susep Nº 586, de 19 de março de 2019, que entra em vigor após 45 dias da data de sua publicação. A medida causou dúvidas entre os transportadores, uma vez que muitas coletas de mercadorias são solicitadas ainda sem o fornecimento de informações precisas por parte dos embarcadores, que em diversos casos ainda estão emitindo suas notas fiscais enquanto os caminhões se deslocam para essas coletas. Se não há informações precisas sobre o que será coletado, como o transportador poderia averbar as mercadorias? Usualmente, a averbação só ocorre quando o veículo retorna para a transportadora, já com todas as notas fiscais, porém, após o percurso inicial do risco.

Focado na inteligência dos processos de averbações de transportes e para atender à nova Circular da Susep, o Sistema AverbWeb lançou, no início de abril, um aplicativo que pode ser instalado no smartphone dos motoristas para averbação da coleta. Basicamente, o aplicativo faz a leitura da chave (uma espécie de código de barras) das notas fiscais e averba os dados no sistema. Após a emissão do CTe, o sistema cruza as informações e faz a consistência dos dados, evitando duplicidade.

“Quando surgem problemas, sempre existem oportunidades, e, como o nosso negócio é tecnologia, trabalhamos para resolver os entraves e identificar novas possibilidades”, diz André Dantas, diretor de Tecnologia do Grupo Vista, empresa que desenvolveu o sistema AverbWeb. “O diferencial não está só na leitura dos dados, mas principalmente na consistência das informações”, complementa o executivo.

Marcello Van Cleef, gerente de Marine da Fairfax Brasil Seguros, que é cliente do sistema desde 2016, reforça que o mercado precisa de soluções como esta. “Temos que cumprir as determinações da Susep e a tecnologia é uma grande aliada”.

Para Renato Pereira, especialista Comercial de Transporte da LDE Corretora de Seguros, é fundamental entregar soluções para auxiliar os segurados a cumprirem as normas. “Seria impossível o transportador atender à nova resolução se não fornecermos as ferramentas adequadas”, diz.

Na visão de Marcelo Rodrigues, sócio da MR Express e diretor de Seguros do Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região (Setcesp), seria importante uma aproximação da autarquia com este que é o maior sindicato regional do Brasil para que o cumprimento das medidas seja operacionalmente viável. “Certamente o Setcesp, com toda sua diversidade de associados, pode auxiliar no desenho de medidas que sejam possíveis de serem cumpridas pelos transportadores”. O executivo complementa que o AverbWeb tem sido um player muito ágil e inovador, e agora contribuindo para atendimento à norma, entretanto a maioria das seguradoras impõem a utilização de sistemas que não possuem a mesma ferramenta, inviabilizando o processo. “Podemos escolher qual ferramenta nossa empresa deseja utilizar?”, sugere.

Marcello Van Cleef, da Fairfax Seguros, reforça que a companhia permite que um corretor de seguros ou o próprio segurado escolham o sistema de averbação que desejam utilizar. “Não há qualquer limitação, desde que a empresa atenda pré-requisitos técnicos definidos pela companhia, formalizados através de um contrato de prestação de serviços. O AverbWeb já é escolhido por vários corretores de seguros que operam com a Fairfax, e podemos dizer que o sistema vem ganhando cada vez mais espaço em nossa operação. Com a novidade do aplicativo, a tendência é que esta curva aumente”, analisa.

Ricardo Cestenário, diretor do Grupo Azecor Seguros ressalta que a tecnologia invade nossas vidas em todos os segmentos, e também vem contribuir para o seguro de transporte. “As normas estão se atualizando e a Circular 586 é um exemplo, então, precisamos cada vez mais de empresas que contribuam com o processo. Com o lançamento do aplicativo, o AverbWeb faz um grande movimento focado em contribuir com a operação dos segurados e força os concorrentes a se atualizarem, o que é extremamente saudável para o mercado”, avalia.

M.S.
Revista Apólice

Deixe uma resposta