Em decorrência das fortes chuvas que atingiram São Paulo nos últimos dias, diversos automóveis foram afetados pelas enchentes que tomaram conta das ruas da cidade, causando grande prejuízo aos motoristas. Em momentos como esse, ter um seguro automotivo que inclua na apólice a cobertura de danos causados por alagamentos pode trazer muitos benefícios.

Muitos acreditam que o seguro de veículos não contempla danos causados por chuvas, entretanto, Edilson Guerra, diretor da Rodonaves Corretora de Seguros, explica que danos causados por fenômenos naturais, como deslizamento de terra, granizo, alagamento e objetos que caíram no carro são cobertos totalmente pelas apólices de seguro compreensivo, o plano mais comum entre aqueles oferecidos pelas seguradoras.

Mesmo com a possibilidade, o executivo alerta os motoristas que, caso seja comprovado que houve tentativa de risco desnecessário, como atravessar o alagamento por conta própria, a seguradora pode se recusar a cobrir as despesas dos sinistros.

“Vale lembrar que, na hora de contratar o seguro, é necessário prestar atenção nos termos enchente, alagamento e inundação, pois eles se referem a coisas diferentes e, por isso, um tipo de cobertura não necessariamente compreende a outra. Enquanto, a inundação se refere ao transbordamento de rios, o alagamento é o acumulo de água por falta de sistema de drenagem. Já a enchente é o aumento no nível da água em decorrência da chuva”, ressalta o executivo.

Guerra ainda alerta os motoristas que vão à praia, pois os seguros não cobrem avarias por água salgada. Ele também lista os fenômenos naturais inclusos na cobertura apreensiva:

  • Chuvas de granizo;
  • Deslizamento de terra;
  • Enchentes;
  • Incêndio;
  • Queda de objetos no carro;
  • Raios;
  • Ventos fortes.

Dicas para proteção do veículo

  • Não tentar atravessar um alagamento;
  • Procurar uma cobertura compreensiva que englobe o veículo como um todo;
  • Optar por uma corretora de seguros que ofereça diversas opções de seguradoras que atendem necessidades diferentes;
  • Evitar permitir que pessoas que não estão inclusas na cobertura dirijam o carro.

O executivo completa que mesmo que o veículo tenha passado por uma enchente e aparentemente esteja tudo em ordem, é importante levar o automóvel a uma oficina para fazer uma rápida revisão no motor e câmbio. “As consequências de atravessar um alagamento podem aparecer posteriormente, de forma bem mais grave, como a água se misturar ao óleo do câmbio, causando pane total”.

M.S.
Revista Apólice

Deixe uma resposta