Vanessa Arteaga

No Brasil, as mulheres chefiam quase metade das famílias, mas, no mundo corporativo, comandam apenas pouco mais de 15% das empresas. De acordo com estudos realizados pela Escola Nacional de Seguros, desde 2013 não houve avanço muito relevante da participação feminina no setor. Desde essa época, porém, elas já ocupavam mais de 50% dos cargos desse mercado.

Na Essor desde que a seguradora ainda era uma startup, a diretora financeira Vanessa Arteaga acredita que, hoje, as oportunidades de crescimento feminino no mercado segurador estão maiores do que alguns anos atrás. Seu caminho foi traçado ao longo de 13 anos prestando serviços de auditoria exclusivamente ao mercado de seguros antes de entrar na companhia.

Já na empresa, ela participou da preparação para o início das operações das áreas financeira, fiscal, contábil e de compliance. “Ocupo uma das posições respeitadas, com voz ativa local e internacionalmente nos assuntos que me competem”, afirma, garantindo que não há distinção de gênero dentro da seguradora.

Por outro lado, Vanessa reconhece que “por existir um desafio maior para a mulher, de conciliar a profissão com a família, a probabilidade de um homem se tornar executivo de uma seguradora é bem superior”.

M.S.
Revista Apólice

Deixe uma resposta