Sudeste – “Seguro RCF-V – Sinistros Danos Corporais: Desafios pouco conhecidos para uma regulação eficaz” foi o tema do primeiro Café com Seguro da ANSP, que aconteceu no auditório do Sindseg-SP. O encontro abordou a realidade enfrentada pelos agentes para regular adequadamente os sinistros e como essa atividade pode ser realizada de forma eficaz.

Marcello Brancacci, coordenador da Cátedra de Seguros de Danos da ANSP, apresentou os aspectos difusos e os principais desafios. O palestrante levantou dados nacionais de frota de veículos e quantidade de mortes e invalidez permanente, totalizando esses dois últimos mais de 383 mil indenizações. “Esses números mostram a necessidade de uma regulação adequada”, ressalta.

No segundo painel, o economista Erivaldo Gomes dos Reis expôs alguns dos fundamentos práticos da regulação e conexões indispensáveis para a regulação e liquidação de sinistros RCF-V – Danos Corporais. “É importante dar visibilidade aos pontos críticos que acontecem numa regulação de seguros e os pontos necessários nos termos de estrutura securitária de várias áreas que se conversam, o resultado disso é a transferência de todo esse conhecimento para o terceiro, para a vítima, para o procurador que esteja representando ele e tudo isso no sentindo de agilizar todo o processo”, afirma.

A relevância da análise médica em acidentes com danos corporais, bem como seus impactos no seguro foram os tópicos explorados no último painel pela doutora Solange Mayumi Ishkawa, médica ortopedista. “Uma das coisas mais importantes na perícia médica são os dados objetivos para que os resultados sejam mais justos”, conclui.

O evento foi coordenado pelo Acadêmico Edmur Almeida, diretor de Fóruns Acadêmicos da ANSP, e Marcello Brancacci, Coordenador da Cátedra de Seguros de Danos: Propriedade (incluindo auto). Representando o presidente da ANSP, o diretor de Comunicação, Rafael Ribeiro do Valle, ficou responsável pela abertura e moderação do evento.

M.S.
Revista Apólice

Deixe uma resposta