A Funcional iniciou o ano anunciando a mudança de sua logomarca e de sua assinatura para Funcional Health Tech, fazendo jus à utilização cada vez mais importante da tecnologia nos produtos e serviços que desenvolve e comercializa no mercado.

“Sempre fizemos e continuaremos a fazer gestão de saúde – Health Management é o que fazemos -, mas Health Tech é o que somos. E, por meio da utilização cada vez mais estratégica e integrada de Big Data, Inteligência Artificial e Machine Learning, buscamos a melhor relação entre tecnologia e saúde. Isso é o que somos, isso é o que nos define”, afirma Fábio Hansen, CEO da Funcional Health Tech.

Como Funcional Health Tech, a empresa alinha ainda mais a sua marca a uma série de inovações que tem apresentado ao mercado nos últimos meses, como a adoção do conceito Data Driven, levando informações cada vez mais aprofundadas aos usuários, a quem vende e a quem provê o acesso aos medicamentos, tudo de forma integrada. Hoje, a Funcional conecta atores da cadeia de saúde para melhorar os cuidados aos pacientes.

Além disso, o alinhamento se dá também com um mercado de saúde global e local que se apresenta cada vez mais dinâmico e desafiador: recente relatório da Frost & Sullivan conclui que o mercado global de Ciências da Vida deverá chegar a US$ 1,5 trilhão em 2022, enquanto no Brasil, a CB Insights afirma que desde 2013, as startups de heathcare focadas em tecnologia de Inteligência Artificial receberam mais de US$ 4,3 bilhões de aporte, superando todas as demais indústrias ligadas à tecnologia de Inteligência Artificial.

M.S.
Revista Apólice

Deixe uma resposta