É notório que umas das principais preocupações dos brasileiros tem relação com a saúde. A população, de uma maneira em geral, busca meios para se manter mais saudável. Isso inclui a prática de exercícios e o consumo de produtos que tragam mais benefícios à saúde. Com isso, muitos acreditam que estarão menos expostos às doenças. Mas, infelizmente, não são apenas com rotinas saudáveis e alimentação equilibrada que estamos livres de desenvolver doenças graves.

Todos estão suscetíveis a desenvolver algum tipo de doença, grave ou não, durante a vida especialmente por conta do histórico familiar e da carga genética que se cerrega. AVC (Acidente Vascular Cerebral), Angioplastia, Insuficiência Renal, Infarto ou até mesmo algum tipo de Câncer são algumas das doenças que podem acometer qualquer um.

De acordo com um estudo da Agência para a Pesquisa do Câncer, entidade ligada à Organização Mundial da Saúde (OMS), divulgado no último mês de setembro, cerca de 18,1 milhões de novos casos de câncer serão registrados em 2018 no mundo, com um total de 9,6 milhões de mortes. E, se nada for feito para reverter este cenário, segundo a OMS, cerca 29,4 milhões de novos casos surgirão até 2040 — o que representa um crescimento de 63% nos próximos 20 anos. Já a mortalidade deve subir para 16,3 milhões até a data.

Ainda de acordo com o estudo, serão os países emergentes que mais terão aumento de casos de câncer, com um avanço expressivo de 62% até 2040 e um total de 10 milhões de novos diagnósticos da doença. O Brasil deve registrar, ao todo, 559 mil novos casos de câncer ainda em 2018, com 243 mil mortes. Até 2040, a Organização Mundial da Saúde estima que haverá um aumento de 78,5% de casos no país, um dos maiores saltos entre as principais economias do mundo. Isso significa que 998 mil novos diagnósticos de câncer serão registrados no país neste período.

Por conta disso, as empresas especializadas em seguros estão registrando uma alta significativa na procura por seguros que cobrem doenças graves e câncer. Segundo a Susep, o prêmio total nos seguros de doenças graves ou terminais em 2017 foi de 765,8 milhões de reais – crescimento de 9,66 % sobre 2016. Já esse ano – de janeiro a agosto – o valor era de 571,9 milhões de reais, uma alta de 12,5% sobre o mesmo período do ano passado.

M.S.
Revista Apólice

Deixe uma resposta