Completando um ano de atividades, a Regula Sinistros se destacou entre os players do setor. Neste primeiro ano de atividades, realizou mais de 1.200 atendimentos, 4 mil transacionamentos e interações com os principais serviços ofertados para apoiar o crescimento do corretor. De todos os atendimentos, 98% receberam notas 9 e 10 de satisfação, segundo pesquisa Survey Monkey realizada com os segurados e terceiros.

A startup fundada em outubro de 2017 conta com clientes de diversos estados, e elevou patamar após a participação no Conec. Com o estande no evento, a empresa esteve mais próxima dos seus clientes, fechou contratos e realizou o sorteio de duas chopeiras para as recentes adesões.

Na opinião do diretor Comercial da Regula, Donizetti Ferreira, que está dedicando ao plano de expansão da empresa por todo o País, passado o evento será momento de muito trabalho e viagens para consolidar contratos e treinamentos. Recentemente a Regula fechou o atendimento a redes de corretoras de seguros e iniciou a expansão da equipe. “Agora iremos reforçar novamente nossa área de atendimento, pois o aumento de clientes em outros estados, conforme planejado, está apenas começando e o trabalho pós evento será ainda mais dedicado”.

O CEO da Regula, Daniel Bortoletto, defende que a empresa se adere perfeitamente ao trabalho do corretor de seguros, pois também tem o compromisso de encantar o segurado, oferecendo atendimento personalizado e dinâmico. “A maioria dos corretores de seguros perde muito tempo com questões burocráticas, principalmente durante um atendimento de sinistros. Os clientes da Regula, que dizemos pertencer a uma nova geração de corretores de seguros, terceirizam de maneira moderna, eficiente e acessível todo esse trabalho, ficando com mais tempo para o que sabem fazer de melhor, que é vender”, finaliza.

“O 18º Conec foi um marco na nossa história. Tivemos um número expressivo de adesões nas centenas de corretores interessados. O volume de visitas foi uma boa surpresa. Não consegui parar nenhum momento. Fui um dos primeiros a chegar e um dos últimos a sair”, revela Bortoletto.

M.S.
Revista Apólice

Deixe uma resposta