(Crédito: Divulgação - Alan Santos)

Centro-Oeste – Como um incentivo ao empreendedorismo e aos jovens corretores do mercado segurador de Brasília e da região que atuam com produtos de Vida, Previdência e Capitalização, a Capemisa Seguradora inaugurou o Estúdio Corretor, um ambiente de trabalho compartilhado para contribuir com o desenvolvimento do setor e estimular seus profissionais.

O escritório está equipado com 18 estações de trabalho e toda a infraestrutura: wifi, telefones, máquina de impressão, salas de reunião e de descompressão, para encontros com clientes, troca de experiências e relaxamento. Os corretores contarão também com o apoio de uma assistente comercial da empresa, que ficará disponível no local durante o expediente.

“O momento atual da economia está fazendo muita gente empreender, recomeçar, desenvolver uma nova carreira. E a Capemisa, dentro de seu propósito, quer estimular esse movimento”, afirma o diretor Comercial Fabio Lessa. O corretor Jonathan Aires está ansioso para começar a trabalhar no novo endereço. “Essa iniciativa mostra que a companhia está disposta a crescer comigo, incentivar-me e apoiar-me nesse processo”.

Entidades estiveram presentes

A inauguração do espaço aconteceu na semana em que se comemora o Dia do Corretor, como uma forma de agradecê-los e valorizá-los pelo trabalho que desempenham. O presidente da seguradora, Jorge Andrade, reforçou o comprometimento da companhia nesse segmento profissional.

“Como uma empresa especialista em vidas, a Capemisa mantém uma preocupação constante também com o bem-estar de seus corretores. Acreditamos nesse profissional como um agente fundamental para estimular o desenvolvimento da sociedade. Afinal, pessoas seguras são mais felizes”, disse ele.

Para o vice-presidente do Sindicato dos Corretores do Distrito Federal, João Ribeiro, as seguradoras precisam estar mais presentes no início da trajetória profissional dos corretores de seguros. “O mercado está mais moderno e exige experiências de troca e compartilhamento, por isso espaços assim são muito importantes. Mas o mercado ainda continua muito competitivo e os corretores que buscam empreender precisam de apoio e do suporte”, afirmou.

A coordenadora da unidade da Escola Nacional de Seguros no Distrito Federal, Roseane Rocha, avalia que os recém-formados na escola de corretores têm bastante conhecimento técnico e vontade de se realizar. Por isso, ela acredita que iniciativas como esta contribuem para o desenvolvimento do mercado de uma forma geral. “Os mais jovens contam com apoio para melhorar suas práticas e acumular experiência e todo o setor sai ganhando”.

M.S.
Revista Apólice