EXCLUSIVO – O Sindseg-SP e o Observatório Nacional de Segurança Viária (ONSV) apresentaram o estudo com o resultado de blitzes realizadas contra o uso de bebidas alcoólicas atrelado à direção de veículos e seus impactos à segurança pública e viária. Durante o evento, também foi lançada a campanha “Quando você bebe e dirige, alguém sempre se machuca”.

“Para nós, apoiar ações que visam diminuir o número de mortes em nosso trânsito é um ato de cidadania. As ações educacionais devem que ter uma continuidade e não podem ser realizadas apenas no Maio Amarelo, pois diariamente mais de 200 pessoas morrem nas ruas e estradas do nosso País”, destacou Mauro Batista, presidente do Sindseg-SP. “Para isso, adotamos um importante lema: ‘o Maio Amarelo passou, mas a luta pela vida continua’. Assim, o sindicato apoiou durante todo o ano iniciativas como esta. Por meio da educação, vamos combater essa tragédia”, disse. Ele ainda ressaltou a importância e o papel das seguradoras que “devem atuar em prol do direito à vida”.

O diretor-presidente do Observatório, José Aurelio Ramalho, apresentou detalhes da campanha e divulgou a carta aberta aos candidatos aos governos estaduais em apelo e manutenção e ampliação das Operações Lei Seca (OLS) em todo o País. “Criar as Operações foi um desafio. Além do álcool, devemos fiscalizar também se o veículo está em alta velocidade, se o motorista usou alguma substância ilícita e, ainda, se o uso do celular ao volante se faz presente”, reforçou. “A Lei Seca é uma iniciativa indiscutivelmente efetiva para a redução de mortes no trânsito”.

O Relatório Estatístico de Segurança Viária II – Álcool, realizado em parceria com a Universidade Federal do Paraná (UFPR), traz informações relevantes sobre a efetividade da OLS no Brasil, por meio de análises comparativas estaduais. Um importante papel do relatório é reforçar a relevância da Operação, pois nos locais onde mais se fiscaliza é maior a conscientização em relação ao álcool e direção. Ou seja, nos estados com maior número de testes realizados, a taxa de autos de infração emitidos é menor.

Jorge Thiago bastos, responsável pelo Departamento de Transportes da Universidade Federal do Paraná, destacou que o estudo está sendo desenvolvido desde 2015 e ressaltou que o País precisa de uma padronização da fiscalização no trânsito. “A gestão da segurança viária precisa ser melhor tratada. A Lei Seca está em crescimento, mas o nosso patamar hoje poderia ser muito mais alto. A fiscalização diminui a incidência de comportamento de risco”, alertou. “Não devemos ter medo de utilizar medidas impopulares como restringir álcool em determinados locais e horários”, completou.

Outra informação relevante apontada pelo estudo foi a proporção de testes realizados em relação à frota de veículos. Nesse sentido, Rio Grande do Sul, Alagoas, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Rondônia, Acre, Amazonas e Amapá são os estados que apresentaram os melhores resultados.

A baixa proporção de autos de infração emitidos em relação ao número de testes realizados também foi destaque nos dados apresentados. Recife e Fortaleza obtiveram ótimos resultados neste quesito, seguidos por Maceió, Manaus, Rio de Janeiro, Goiânia e São Luís, com taxas inferiores a 10% do número total de condutores abordados nas operações. Por outro lado, Florianópolis apresentou a maior proporção de autos de infração emitidos: 29%.

Para Bastos, o relatório é um marco nos estudos sobre o tema e visa servir como apoio a todos os estados que queiram intensificar as ações para o combate do álcool atrelado à direção. “Queremos que este relatório contribua pra o amadurecimento da cultura de segurança viária no Brasil”, afirmou.

Recomendações para a melhora da segurança viária

  1. Reforçar as OLS;
  2. Criar varas especiais para atender e julgar crimes de trânsito;
  3. Disseminar e padronizar as boas práticas de fiscalização;
  4. Estímulo ao autoteste;
  5. Incentivar (benefícios fiscais) os fabricantes de equipamentos necessários para a fiscalização;
  6. Agilizar os processos de municipalização da gestão de trânsito;
  7. Padronizar os boletins de ocorrência de acidentes de trânsito;
  8. Integrar os dados de acidentes de trânsito em uma única plataforma;
  9. Restringir o acesso ao álcool en situações que favoreçam o comportamento de risco
  10. Consolidar o processo de educação para o trânsito;
  11. Integrar os órgãos de policia e demais entidades para ações coordenadas;
  12. Coletar indicadores de desempenho da segurança viária detalhados em relação ao tema “álcool e direção”.

Sobre a campanha

A campanha “Quando você bebe e dirige, alguém sempre se machuca” conta com a parceria da Operação Lei Seca e o Movimento Maio Amarelo. Lançada nesse mês, a campanha será veiculada durante a Semana Nacional de Trânsito 2018.

A campanha, criada e cedida totalmente pela agência F&Q Brasil para o Observatório Nacional de Segurança Viária, pode ser utilizada por toda a sociedade, já que a meta é disseminar o alerta de que a combinação de álcool com a condução de veículos causa mortes.

Maike Silva
Revista Apólice

Deixe uma resposta