Sala de apoio à amamentação da Brasilprev é reconhecida pelo Ministério da Saúde

Preocupada com a readaptação das colaboradoras ao trabalho após o período de licença maternidade, a Brasilprev desenvolveu o Espaço Mamãe. Por conta deste local, a empresa foi certificada como apoiadora da iniciativa “Mulher Trabalhadora que Amamenta” do Ministério da Saúde, durante o lançamento da mais recente campanha do Governo Federal sobre aleitamento materno.

O “Mulher Trabalhadora que Amamenta” é um projeto que tem como objetivo incentivar uma cultura de apoio e respeito à amamentação nas empresas, promovendo a saúde da mãe que trabalha e seu bebê. Para Rosiney Acosta, gerente de Pessoas da companhia, o reconhecimento reforça o compromisso e a preocupação da empresa com o bem-estar das colaboradoras. “A mulher precisa ter uma rede de conforto para conciliar todas as suas atividades após o nascimento do filho. A nossa sala visa proporcionar segurança e todo apoio às nossas colaboradoras nesse momento de transição, bem como aos seus pequenos”.

A sala faz parte do Espaço Saúde da Brasilprev e conta com uma estação de coleta de leite, com poltrona, extrator de leite elétrico e material de higienização pessoal. As mães também recebem um kit de transporte com bolsa térmica, fio conector, gelo rígido e frascos para armazenar o leite. Após a coleta, os recipientes são devidamente identificados e mantidos em um freezer para serem levados para casa ao fim do expediente.

Dados da Rede Internacional em Defesa do Direito de Amamentar indicam que há cerca de 200 salas de apoio às mães que trabalham e amamentam no País, sendo o Rio de Janeiro o estado com o maior número, 35. De acordo com a rede, a iniciativa é importante pois trata-se de um momento crítico para o desmame – nos casos em que a mulher não conta com um lugar adequado para colher o leite, a amamentação é interrompida rapidamente.

A analista de Processos Estela Haikawa dos Santos utilizou o Espaço Mamãe após o nascimento de seus dois filhos: Maria Eduarda, hoje com seis anos, e Pedro, um ano. “No retorno da licença maternidade me senti muito acolhida, pois a empresa oferece a estrutura necessária para que seja possível a continuidade do aleitamento materno. Foi muito bom poder contar com esta conveniência”, afirma.

M.S.
Revista Apólice