ATUALIZADO EM 06/06/2018 ÀS 09H16 – A cidade de Maceió (AL) recebeu, nos dias 31 de maio e 1º de junho, o 3º Congresso dos Corretores de Seguros do Nordeste (Conseg-NE). O evento reuniu cerca de mil pessoas divididas entres representantes de seguradoras, corretoras e entidades reguladoras.

O Congresso contou com palestras voltadas aos avanços tecnológicos da atualidade, às novas opções de atuação no mercado e ao melhoramento da relação entre segurado, corretor e seguradora, além de marcar a posse da nova diretoria da Fenacor.

Armando Vergílio, que recentemente pediu licença da presidência da Fenacor, fez um discurso analisando as últimas conquistas e prevendo os cenários para categoria, especialmente quanto a aprovação do PL 3139/2015 sobre o funcionamento das associações de proteção veicular. Além dele, tomaram posse Diretoria, Conselho Fiscal, Delegados Representantes junto à Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e vice-presidências regionais da entidade. “Um dos nossos principais propósitos é contribuir com novas ferramentas para que o corretor de seguros possa expandir os seus negócios frente às grandes mudanças que estamos encarando, como as novas formas de distribuição”, declarou Vergílio.

O presidente do Sincor-AL, Edmilson Ribeiro, relembrou a construção do evento. A mesa de honra ainda contou com a presença do superintendente da Susep, Joaquim Medanha; do presidente da Escola Nacional de Seguros, Robert Bittar; do deputado federal Lucas Vergílio; do presidente da CNseg, Márcio Coriolano; do presidente do Ibracor, Gumercindo Rocha Filho; e do deputado estadual Sérgio Toledo.

Seguradoras

Dentre os destaques do evento estão as participações da Liberty e da Sompo Seguros. “As estratégias que vimos adotando já trazem resultados para a companhia. No primeiro quadrimestre de 2018, a Sompo teve crescimento de 33% em seguros de Transporte e 10% em seguros de Pessoas em comparação aos quatro primeiros meses de 2017. Esses são índices acima da média de mercado e nós pretendemos continuar a conquistar mais representatividade nos nove Estados da Região com nosso portfólio de produtos”, destacou Eduardo Fazio, diretor comercial para Rio de Janeiro, Espírito Santo, Norte e Nordeste.

Para a Capemisa Seguradora, o evento foi uma grande oportunidade de ampliar o relacionamento com corretores da região e dar o primeiro passo para novos negócios. “Entre os eventos regionais, este foi o melhor ano em visitação no nosso stand. Estávamos em uma área privilegiada da feira, com fácil acesso e percebemos grande interesse de corretores que ainda não nos conheciam. Posso dizer que plantei algumas oportunidades e devo colher em breve”, disse o superintendente da regional Nordeste, Marcelo Vasconcelos, que participou de um painel e discutiu estratégias de relacionamento digital.

Eduardo Grillo, diretor executivo Comercial da Allianz Seguros, foi um dos conferencistas do painel “O que devemos esperar do mercado de seguros do Nordeste”. De acordo com levantamento apresentado por Grillo, a região acumulou R$ 8,6 bilhões em prêmios em 2017 e obteve aumento de 13,5%, sobre 2016. “O Nordeste foi a região do Brasil que mais se desenvolveu em seguros no ano passado. A nossa perspectiva é que o seu crescimento permaneça nesse patamar, de dois dígitos, sendo impulsionado pelas carteiras de Automóvel, Residência e Vida”, disse Grillo.

A Liberty Seguros também marcou presença. O crescimento da empresa na região esse ano foi de 33,5%, enquanto o mercado cresceu 11,2% (excetuando-se os produtos de saúde, vida e previdência). A seguradora reforçou a proximidade com corretores e parceiros da região. “O Nordeste apresenta inúmeras oportunidades para o setor de seguros. Nossa participação é fundamental para apresentar soluções e manter a proximidade dos parceiros que podem expandir nossos negócios”, disse Emerson Passos, diretor da companhia no Norte e Nordeste.

Motivação

O Congresso ainda contou com uma palestra motivacional comandada pelo psicólogo paraibano Rossandro Klinjey. “O Brasil está melhorando, já foi tudo muito pior”, brincou, dizendo que antigamente as pessoas não tinham sequer opções para comprar roupas. “Compreender a si mesmo não é uma tarefa tão simples, mas é o caminho necessário para qualquer crescimento. O controle emocional e psicológico é a base para o equilíbrio de todas as ações”, acrescentou. “Não adianta tanta tecnologia se não tivermos relacionamento”, pontuou, observando o crescimento dos atendimentos feitos por robôs nos mais variados ramos da economia.

Maike Silva
Revista Apólice

Deixe uma resposta