(Crédito: Robbie Jay Barratt - Getty Images)

Copa 2018 – O Lloyd’s divulgou uma pesquisa com o Centro de Pesquisa Econômica e Empresarial (CEBR) para ranquear cada país participante na Copa do Mundo da FIFA em relação ao valor segurado total dos seus 23 jogadores. O elenco brasileiro soma US$ 1,5 bilhão, alcançando o terceiro lugar – atrás apenas de França (US$ 2 bilhões) e Inglaterra (US$ 1,6 bilhão). Estes números estão alinhados com o ranking da FIFA, no qual o país é o segundo – atrás apenas da Alemanha.

Apesar da desolação da última Copa do Mundo, a Seleção brasileira está pronta para provar o seu valor mais uma vez. O Brasil é o favorito para dominar o Grupo E, que conta com um valor segurado total bem abaixo da seleção de Tite (Costa Rica com US$ 94 milhões, Sérvia com US$ 460 milhões e Suíça com US$ 500 milhões). Para comparação, o valor segurado médio de um jogador brasileiro é maior do que a somatória de todo o elenco panamenho.

Se estes valores se refletirem no campo, o Lloyd’s prevê que o Brasil avança até às quartas de final, perdendo para a Inglaterra, uma seleção mais jovem, e, portanto, mais valiosa. Análise similar foi realizada pelo Lloyd’s e o CEBR antes da Copa do Mundo de 2014, a qual acertou a previsão de que a Alemanha seria vitoriosa.

Esta pesquisa oferece perspectivas nos valores segurados por posição e idade dos jogadores. Por exemplo, atacantes são os jogadores mais valiosos na edição deste ano, com uma média de US$ 27 milhões, enquanto os meio-campistas contam com a maior porcentagem do valor segurado (38%). Jogadores entre 18 e 24 anos tem a maior média de valor segurado, com US$ 28,1 milhões.

O CEBR usou salários e receitas de patrocínios dos jogadores, juntamente com uma coleção de indicadores adicionais para construir um modelo econômico que estima a renda dos jogadores até a aposentadoria. Estas projeções formaram a base para avaliar os valores segurados por idade, posição e nacionalidade.

Esta análise permitiu ao Lloyd’s prever as seleções que irão se classificar em cada grupo. Na segunda fase, o Lloyd’s traçou o caminho de cada seleção com base nos valores segurados. A equipe com maior valor segurado total é a escolhida pelo Lloyd’s como vencedora de cada confronto.

A pesquisa foi realizada com o apoio do Sporting Intelligence, que providenciou os dados salariais de cada uma das 32 seleções participantes da Copa do Mundo de 2018, baseados nas listas de 30 jogadores enviadas por cada federação.

Para Marco Castro, Country Manager do Lloyd’s no Brasil, “a pesquisa Lloyd’s Dream Team é um grande exemplo de como a indústria de seguros usa uma variedade de técnicas de modelagem para prever resultados.”

“Estamos muito satisfeitos em ver que a seleção brasileira está em boa companhia entre os favoritos quando se trata de valor segurado. Tenho certeza que o Brasil será um dos fortes desafiantes, sem se contentar com o segundo lugar!”

A análise contou com dados anônimos de salário de jogadores para cada uma das 32 equipes participantes da Copa do Mundo FIFA 2018. Os dados de patrocínio foram obtidos de várias fontes públicas, incluindo a lista da Forbes.

A inflação dos salários foi estimada com base em evidências de dados históricos de salários nas cinco principais ligas de futebol, contribuições de especialistas da Sporting Intelligence, além de projeções de inflação de preços ao consumidor e das renovações de direitos de televisão.

Ao longo da análise, os ganhos futuros foram descontados a uma taxa de 10%, a fim de dar conta da incerteza inerente à projeção das progressões da renda dos jogadores, colocando assim um peso maior sobre a renda atual.

M.S.
Revista Apólice

Deixe uma resposta