Sudeste – No próximo sábado, 30 de junho, entre 9 e 12 horas e 14 e 17 horas, acontece o DemoDay do projeto Área 21 instalado na ONG Centro Educacional Assistencial Profissionalizante (CEAP). Neste dia, os mais de 320 alunos da iniciativa apresentarão os projetos que desenvolveram ao longo do semestre. O evento marca a conclusão do primeiro ciclo de formação do Área 21 – iniciativa criada pelo Instituto Tellus e que conta com apoio da Brasilprev por meio do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente (Condeca).

O Área 21 é um laboratório maker concebido para estimular os jovens a desenvolver habilidades nas áreas de tecnologia e empreendedorismo. Em ambiente inovador e com apoio de equipamentos modernos como de realidade virtual e aumentada, impressoras 3D e fresadora a laser, as aulas culminaram na criação de soluções para diversos desafios, entre eles, os problemas da comunidade. Tais projetos serão apresentados no dia 30 de junho por meio de pitch para uma banca avaliadora.

De acordo com o diretor de Desenvolvimento Institucional do CEAP, Carlos Henrique Lima, a iniciativa se destaca pela proposta educacional na qual o aluno é o protagonista do aprendizado por meio da metodologia maker, conceito que vai ao encontro dos interesses das novas gerações e à maneira que o jovem se enxerga. Ele destaca: “a possibilidade de trabalhar qualificações profissionais, socioemocionais e ainda estimular o desenvolvimento das competências do século XXI dentro de um ambiente inovador são os maiores diferenciais do projeto”. Ele lembra que a ONG está inserida no bairro Pedreira, região de grande vulnerabilidade social e com um dos piores IDHs de São Paulo. “O desenvolvimento de uma ação inovadora e inspiradora como o Área 21 causa uma perspectiva de acesso às melhores condições para os jovens locais”, enfatiza.

O DemoDay simboliza a finalização do curso. Segundo Carlos Henrique, todos os projetos são focados na busca por soluções para os problemas da comunidade, e as questões socioambientais relacionadas a represa Billings serão as mais abordadas.

Alguns depoimentos de jovens que participarão das apresentações:

“É um local onde eu posso trabalhar com outras pessoas e consigo desenvolver minhas ideias, e colocar em prática. A gente pode trabalhar coisas diferentes do cotidiano”, diz Lucas do Vale, 17 anos.

“Aqui você fica à vontade e tem muitos meios para conseguir desenvolver o seu projeto. E se precisar, chama o professor e ele te ajuda”, conta Wesley da Silva, 17 anos.

“É bom porque um ajuda o outro, escuta as ideias do outro e trabalha em grupo. É bem legal”, ­ fala Rogério Oliveira, 14 anos.

“Muitas pessoas ou são muito inseguras ou muito tímidas, não gostam de falar. Eu era bastante inseguro e, nesses dois meses, estou interagindo mais – tanto aqui quanto na escola”, destaca Gabriel dos Santos, 16 anos.

M.S.
revista apólice

Deixe uma resposta