A transformação digital já mobiliza grande parte das empresas no Brasil e no mundo, pois gerou mudanças significativas no comportamento do consumidor e, consequentemente, na verba destinada pelas empresas para aquisição de clientes. Um estudo realizado pela Gartner com empresas que movimentam mais de 250 milhões de dólares por ano, no Reino Unido e na América do Norte, apontou que 67% dos líderes de marketing planejam aumentar os gastos com marketing digital em 2018.

O investimento em tecnologia é outro ponto importante para as empresas, pois na era digital o desempenho do marketing está atrelado às soluções de TI, indispensáveis para os cruzamentos de dados, definições de estratégias, tomadas de decisão e maior alcance de consumidores. Ainda de acordo com o levantamento, a análise de dados é uma das prioridades nos orçamentos dos Chief Marketing Officer (CMO’s), pois 9,2% da verba é destinada a essa área. Já os gastos com inovação em marketing representam 10% do orçamento total.

O especialista em Marketing Digital, Rafael Rez, cofundador da Web Estratégica – consultoria de marketing focada em performance de negócios no mundo digital – explica que empresas que investem em tecnologia de marketing podem não apenas coletar dados, mas cruzá-los para gerar informações, e analisá-las para gerar conhecimento, produzindo assim resultados cada vez maiores e mais assertivos. “As tecnologias de marketing também permitem testar rapidamente e com menos recursos novas ideias, campanhas, canais e estratégias”.

Uma das maiores dificuldades para as organizações brasileiras é a falta de mão de obra qualificada, não somente para implementar novas tecnologias, mas também para ter o conhecimento necessário para a correta análise de dados. “Isso encarece e atrasa a adoção da tecnologia e também permite que as nossas empresas observem as tendências de fora e aprendam com os erros antes de adotar qualquer novidade a preço de ouro, sem saber se os resultados pagarão a conta.”, diz Rez.

O marketing deve se tornar um dos maiores consumidores de tecnologia dentro das empresas, de acordo com o especialista, as pequenas e médias organizações devem investir com cautela, pois por serem menores, alguns erros podem resultar em grandes prejuízos. “Uma empresa maior sobrevive à perda de um investimento anual de 100 mil reais, porém numa empresa média o impacto dessa perda é muito maior. Enquanto em um uma pequena empresa, ele pode até levar à falência”, comenta. Para Rafael Rez, ser cético quanto aos resultados e agir de forma estratégica é ainda mais importante quando se é pequeno.

M.S.
Revista Apólice