A agência internacional de classificação de risco A.M. Best revisou as perspectivas do IRB Brasil RE, que recebeu na quinta-feira (24) o comunicado oficial elevando sua avaliação de estável para positiva. A instituição ainda concedeu à companhia, mais uma vez, o rating Excelente (A-) de Força Financeira e de Crédito de Emissor de Longo Prazo, destacando como pontos relevantes que justificaram o parecer “a solidez do balanço do IRB, bem como seu forte desempenho operacional, perfil de negócios neutro e gerenciamento de risco corporativo apropriado”.

Essa atualização no panorama futuro do IRB, de acordo com a A.M. Best, foi baseada na flexibilidade financeira da empresa e no forte desempenho operacional – mesmo em um ambiente macroeconômico adverso e ainda desafiador, com taxas de juros mais baixas.

“O upgrade na perspectiva pela AM Best demonstra a confiança que já se deposita na gente. É gratificante ver todo nosso empenho em superar resultados, inovar e conquistar novos negócios se transformando em reconhecimento”, comemora o presidente do IRB, José Carlos Cardoso.

Ele atribui cada conquista da companhia a uma perfeita combinação de experiência e conhecimento do mercado brasileiro, aliados ao que existe de mais moderno no segmento de resseguros global. “Apesar do cenário político-econômico desfavorável, o IRB se mantém blindado em sua trajetória de expansão no mercado nacional e internacional, firme na estratégia de atuação com foco na América Latina”, afirma.

A vice-presidente de Riscos e Compliance do IRB, Lucia Valle, complementa reforçando as razões dos ganhos gerais consistentes da empresa nos últimos anos. “Fomos impulsionados por um forte desempenho operacional, mas temos aqui algo que consideramos essencial: uma gestão integrada de riscos eficiente, que nos apoiou na manutenção da nota da A.M. Best e nos elevou na avaliação de perspectiva”, aponta a VP.

No comunicado oficial, a A.M. Best ainda destaca que “apesar da queda constante nas taxas de juros, o IRB conseguiu entregar retornos de investimentos superiores, que são substancialmente mais altos no Brasil em relação aos padrões atuais norte-americanos/europeus devido aos rendimentos mais altos. O retorno sobre o patrimônio líquido do IRB também está entre os mais altos para as empresas de resseguro do setor”.

M.S.
Revista Apólice

Deixe uma resposta