Não basta criar uma nova forma de comercializar produtos ou de agilizar processos.Também não é suficiente investir em inovações que podem demorar muito para percorrer o longo percurso de uma grande companhia para chegar à prototipação. Para acabar com este dilema, nasceram as insurtechs.

O cenário ideal é unir quem tenha identificado a mesma “dor” do consumidor, de um lado as mentes pensantes e, de outro, o capital para viabilizar o projeto. Este é um dos focos da Insurtech Brasil 2018, um evento que abre uma grande vitrine para quem está começando mas, não só isso, abre um canal para que todo o setor possa discutir os conflitos e as barreiras desta nova relação.

Agora, um novo canal se abre para o relacionamento com o consumidor. Não apenas de venda, que é inclusiva para o corretor, mas de contato em diversos momentos do contrato. Já foi dada a largada para esta nova forma de lidar com os produtos e serviços oferecidos para o setor, com a regulamentação para funcionamento das seguradoras digitais.

A Insurtech Brasil coloca em pauta muitos pontos que ainda precisam ser elucidados, como novos modelos de negócio e os desafios regulatórios. Veja os temas: Blockchain em seguros; parcerias que impulsionam a distribuição; demonstração de cases de insurtechs; drones, IoT, IA e machine learning; desafios e tendências para o futuro e para a distribuição de seguros etc.

A Revista Apólice apoia o evento e as inscrições feitas com o cupom REVISTAAPOLICE tiveram 5% de desconto.

O evento acontece hoje (5), no Hotel Maksoud Plaza, em São Paulo.

Kelly Lubiato
Revista Apólice

Deixe uma resposta