Os temas Seguro e Direito foram o foco dos dois dias do XII Congresso da AIDA (Associação Internacional de Direito do Seguro), que aconteceu em 15 e 16 de março, em São Paulo. O evento reuniu cerca de 300 pessoas, entre advogados, juristas e players do mercado de seguros que discutiram e pensaram temas importantes e de interesse do setor.

Responsabilidade Civil, agravamento de riscos, seguro saúde e conflitos foram alguns dos assuntos discutidos nas mesas redondas e contaram com a participação de importantes figuras do setor. Além das palestras também aconteceram as reuniões dos grupos nacionais de trabalho e mesas redondas.

O congresso foi encerrado com a palestra do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, que trouxe um ar de esperança aos congressistas ao fazer uma análise atual do cenário brasileiro e o que esperar do futuro. “Somos um país que passou a fazer os diagnósticos adequados”, disse.

Para Sérgio Ruy Barroso, vice-presidente mundial da Associação Internacional de Direito do Seguro (AIDA), o congresso foi aprovado pela comunidade jurídica. “Conseguimos extrair projetos novos para o curto médio e longo prazo”, destacou.

Já para a presidente da AIDA Brasil, Ana Rita Petraroli, considera o saldo positivo do congresso. “Quisemos dar uma nova visão para o Direito que começou com o jantar inovador, em que tivemos um show, e quisemos provocar, dizendo que para ser sábio, não precisa ser chato. É essa visão de que queremos dar para o seguro: é útil e complexo, mas é bom”, finalizou.

Ela ainda lembrou que em outubro, acontece o congresso mundial da AIDA, na cidade do Rio de Janeiro.

L.S.
Revista Apólice

Deixe uma resposta