sindseg 2
Mauro Cesar Batista, presidente do Sindseg-SP

Na última quinta-feira, 07/12, o mercado segurador paulista se reuniu para a tradicional confraternização de final de ano. Os líderes do setor aproveitaram a oportunidade para fazer um balanço do ano. Muitos acreditam que 2018 será de recuperação, apesar de muitas empresas ainda necessitarem de ajustes para conseguir trabalhar com resultado operacional, uma vez que houve queda nas taxas de juros.

O presidente do Sindicato das Seguradoras de São Paulo, Mauro Cesar Batista, enfatizou que o crescimento de 3% do PIB em 2017 será um alento, visto que os números no começo do ano pareciam ainda mais desanimadores. “Estamos preparados como setor e, certamente, teremos um 2018 melhor”.
Robert Bittar, presidente da Escola Nacional de Seguros,  disse que no próximo ano “teremos eleições e esperamos que a sociedade brasileira tenha discernimento para escolher os melhores candidatos e possa criar um ambiente de maior confiança e prosperidade. Somos artificies de uma obra inacabada e inacabável, que é fazer com que sociedade seja empoderada de conhecimento para ter a oportunidade de consumir a cesta de produtos que o setor oferece”.
O presidente da CNseg, Marcio Coriolano, afirmou que a persistência do setor não é obra do acaso. “Nós, empresários de seguros, trabalhamos e conseguimos fazer com que mercado possa atingir crescimento de 7% em termos reais, fazendo com que a população conheça mais sobre a seguridade. Continuamos a investir e acreditar na capacidade de recuperação do País. Temos que ressaltar a capacidade de dar segurança e solvência e consolidação que o mercado precisa”, destacou, enfatizando que houve um esforço extraordinário das empresas para fazer os ajustes operacionais de eficiência administrativa necessária para melhorar os resultados.
sindsegO secretário de Educação do Estado de São Paulo, José Renato Nalini, foi homenageado pela parceria no desenvolvimento do projeto Vida Segura, um game que leva conhecimento do setor para jovens estudantes da rede pública de ensino. Ao lado de Mauro Batista e Alexandre Camillo, presidente do Sincor-SP e também parceiro da iniciativa, Nalini fez um convite para o setor participar do Instituto de Estudos Avançados da USP para criar uma cátedra para aprofundar a cultura securitária. Queremos que o conhecimento se expanda, porque este é o único setor que pode contribuir com a utopia da segurança, num mundo cada vez mais inseguro”.

Kelly Lubiato
Revista Apólice

Deixe uma resposta