A-tecnologia-aproximando-clientes-e-empresas

Os seguros para aparelhos celulares no Brasil não são muito atraentes para o público, pois o seu custo ainda é bastante relevante. Apesar de ser difícil estimar a porcentagem de usuários que contratam este serviço, é possível avaliar o potencial deste mercado. No Brasil, já circulam mais de 250 milhões de aparelhos. De olho neste potencial e nos clientes da operadora TIM (60 milhões), a Generali fechou uma parceria com a Affinion para oferecer aos seus clientes a proteção de dados digitais. De forma gratuita, a seguradora deve agregar ao seu produto mais esta proteção, com o propósito de tornar o produto mais atraente para o consumidor.

Gordon
Conrado Gordon, da Generali

De acordo com o diretor de Produtos Massificados da Generali, Conrado Gordon, esta proteção de dados digitais também será fornecida para os clientes do Banco BMG, parceiro da seguradora, nos produtos de seguro prestamista atrelados ao empréstimos consignados, disponibilizados para aposentados e pensionistas.

O serviço leva o nome de Protege Web e é um modo de proteger os dados dos usuários na internet e conscientizar os consumidores a manterem-se preservados, minimizando o risco de fraudes e exposição indevida de suas informações pessoas.

“Vemos neste serviço uma forma do segurado tangibilizar o produto de seguro. Além disso, um cliente com dados protegidos cria uma relação de fidelidade com a seguradora”, explicou Gordon.

Após a compra de um dos seguros mencionados, o cliente deve ativar a conta através de um link, enviado por e-mail ou mensagem de texto, que leva ao site do ProtegeWeb. Em seguida, o consumidor deve incluir os dados que deseja controlar, como documentos, cartão de crédito, endereço, conta corrente etc. A partir desse momento, o monitoramento é iniciado. Em caso de
qualquer identificação de risco, um alerta do serviço é enviado com informações sobre o site
onde seus dados foram encontrados e as possíveis implicações, permitindo ação imediata para
prevenir que não sejam utilizados indevidamente. O suporte ao cliente estará disponível 24 horas
por dia.

Justin
Justin Figgins, da Affinion

“Vamos continuar investindo no Brasil pois acreditamos que o mercado aqui possui grande potencial”, afirmou Justin Figgins, CCO da Affinion. Ele adiantou que a empresa deve focar também as empresas de menor porte e até em pessoas físicas.

Para 2018, a prestadora deve fechar contrato com outras quatro empresas de diferentes segmentos, “seguindo nesta linha de proteção cibernética e também criando programas de recompensa com modelos de Cash Back”, adiantou Cesar Medeiros, Country Head da unidade brasileira.

 

 

 

Kelly Lubiato
Revista Apólice

Deixe uma resposta