seguradora

Na contramão de outros segmentos da economia brasileira, o setor de seguros segue crescendo. Segundo dados da Superintendência de Seguros Privados (Susep), compilados pela Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização (CNseg), em 2016, foi registrado um aumento nominal de 9,2% e, para 2017, a expectativa também é otimista, entre 9% e 11% de crescimento.

Ciente de que processos automatizados asseguram maior eficiência operacional, a Swiss Re Corporate Solutions resolveu apostar no fluig, plataforma de transformação digital da TOTVS, para iniciar uma nova fase na empresa. Recentemente, a seguradora passou por uma mudança organizacional após a joint venture com a Bradesco Seguros.

A companhia faz cerca de 25 mil transações por ano e identificou a necessidade de investir em uma ferramenta de workflow para o controle dessas demandas. Por conta de algumas diretrizes globais, as aplicações em nuvem e a troca de informações com ambientes externos eram pontos de atenção e a seguradora encontrou no fluig a possibilidade de unificar a visão de negócios com a parte técnica, sem deixar de atender a esses requisitos. Outro ponto decisivo na opção pela solução é a parametrização e a usabilidade, o que possibilita a um funcionário, sem conhecimento em banco de dados, utilizar a plataforma com facilidade e agilidade.

“Encontramos no fluig a ferramenta que atende os requisitos de segurança, possui facilidade de integração com os nossos sistemas legados e é quase na totalidade parametrizável para nossas principais demandas. A solução nos possibilita saber qual área está trazendo mais negócios e, assim, melhora a nossa gestão. Estamos investindo fortemente em tecnologia para trazer ainda mais eficiência à nossa operação”, afirma Luciano Calheiros, CEO da Swiss Re Corporate Solutions no Brasil.

A expectativa da seguradora com o fluig é conseguir, por meio dos relatórios, ter 100% do controle da operação e dos processos – como a quantidade de tempo gasta em determinadas ações, a produtividade dos colaboradores, onde e por que uma solicitação está parada. Ou seja, ter um fluxo automatizado e reunir informações gerenciais em único ambiente.

Projeto de implantação

O projeto de implantação foi iniciado em abril deste ano e engloba as áreas de vendas, subscrição de riscos e operação. Para o futuro, a expectativa é automatizar outros processos da companhia. Também está prevista a integração com o sistema administrativo de emissão – a novidade vai eliminar a dupla digitação de informações e os dados serão inseridos uma única vez, trazendo um ganho significativo de produtividade. Há ainda o plano de ampliar o uso da solução para os mais de 30 mil corretores que têm acesso aos produtos da empresa. Hoje, a Swiss Re tem mais de 200 usuários ativos, mas até final de 2017 a ideia é ampliar este número.

“O resultado final do projeto não é só ter uma ferramenta para controlar os procedimentos internos, mas também um software de fluxo de trabalho, com controle apurado e relatórios inteligentes. Um dos benefícios do fluig é ser totalmente mobile, por meio do qual os usuários podem acessar, solicitar demandas e fazer as suas aprovações na palma da mão, de qualquer lugar, de qualquer equipamento, em qualquer hora. Agora, podemos afirmar que a nossa operação está mais estável e podemos focar no core business da empresa”, finaliza Calheiros.

L.S.
Revista Apólice

Deixe uma resposta