previdencia

Os nascidos a partir dos anos 1980, que integram a chamada Geração Y, já avançaram importantes passos em suas carreiras profissionais e imprimiram características próprias ao mercado de trabalho, como o perfil multitarefa, a conexão constante com diversos recursos tecnológicos e a inquietação – muitos, inclusive, deixaram carreiras tradicionais para empreender em startups de diversos perfis.

No entanto, diante de fatores como um ambiente de instabilidade econômica (novidade para essa geração), a perspectiva de vida cada vez maior da população mundial e a ocorrência de mudanças frequentes na previdência social, é importante ter atenção especial para planos particulares que possam ajudar a garantir boas condições de vida e bem estar.

“Quanto mais jovem uma pessoa adotar um plano de previdência, menos ela gastará por mês, com mais chances de obter uma renda que possa atender às suas necessidades futuras”, diz Maristela Gorayb, diretora de Previdência e Vida Resgatável da Mapfre.

Média de contribuição

A tabela abaixo mostra uma média de contribuição, a partir de diferentes faixas etárias, com foco em uma renda mensal de R$ 3 mil aos 65 anos de idade, com reserva superior a R$ 500 mil.

mapfre

“É muito grande a chance de nos aposentarmos, pela previdência social, com valores menores do que os nossos pais costumavam receber. Por isso, é fundamental ter um planejamento para a qualidade de vida. A economia de um final de semana pode ser empregada para o resto da vida”, ressalta Maristela.

L.S.
Revista Apólice

Deixe uma resposta