celular

No Brasil, o número de celulares já ultrapassou o número de habitantes. Segundo dados da Anatel, são 252 milhões de aparelhos para 206 milhões de pessoas.

Os dispositivos já fazem parte da vida dos brasileiros e carregam informações e dados importantes de seu dono. Para ter mais segurança ao andar com o aparelho, contratar um seguro é uma boa opção.

O país, que é o 6º no mundo em número de smartphones segundo pesquisa da eMarketer, já conta com quatro milhões de consumidores que contrataram um seguro para o celular. E com o aumento do preço médio dos celulares, faz sentido que o número de pessoas interessadas nesse seguro cresça.

O seguro celular garante indenização em caso de roubo, danos acidentais ou pane elétrica, dependendo das coberturas contratadas.

Nos sete primeiros meses de 2015, a venda desse seguro cresceu 15%, mesmo com a redução na venda de aparelhos. O que deve estar intimamente ligado ao número de roubos e furtos, pois o Brasil só perde para a Índia nesse quesito, segundo a F-Secure.

A Bidu Corretora separou algumas dicas para quem está pensando em contratar seguro para celular.

1. O que eu preciso ter em mãos

Para contratar esse seguro, é preciso ter em mãos a nota fiscal do aparelho. Sem a nota, nada de seguro. Também será necessário alguns dados pessoais, como CPF, endereço e idade. Outra informação importante: o celular precisa ter sido comprado há menos de 12 meses, necessariamente.

2. Preste atenção nas coberturas

Um dos principais fatores que influenciam no preço do seguro são as coberturas contratadas. É necessário  pesquisar sobre as coberturas disponíveis e contratar aquelas realmente necessárias. As mais contratadas são contra roubo e danos acidentais.

3. Franquia: confira quais são as opções

A franquia é a parte que o segurado deve pagar para que a seguradora repare ou indenize o sinistro. A maioria dos seguros para celular tem franquia e ela varia de acordo com as coberturas. Portanto, antes de contratar o seguro, confirme com a corretora qual o valor da franquia para não ter surpresas.

4. Roubo e furto só qualificado

O roubo (com violência ou ameaça de violência) do aparelho está coberto no seguro celular, porém algumas seguradoras não cobrem nenhum tipo de furto. As que cobrem garantem indenização apenas em casos de furto qualificado. Exemplo: se seu celular estiver na bolsa e o ladrão pegá-lo sem você perceber, o furto é qualificado; agora, se você deixar o celular em cima da mesa do restaurante e alguém furtá-lo, o furto não é qualificado e você não será indenizado.

L.S.
Revista Apólice

Deixe uma resposta