17/08/2022

Autoridades se reúnem na abertura do XVII Conec

Conec

Conec 2016 – Com o tema “Aprender, Empreender e Ser: Corretor, o caminho seguro da distribuição”, teve início na última quinta-feira, 06, o 17º Congresso de Corretores de Seguros (Conec), promovido pelo Sincor-SP na capital paulista. Paralelamente ao evento acontece a Exposeg, feira de negócios que reúne seguradoras e empresas do mercado segurador brasileiro.

Personalidades representantes de entidades do setor, discursaram para dar as boas-vindas aos corretores de seguros.

O presidente do Sincor-SP, Alexandre Camillo, fez um discurso pessoal e emocionado. O anfitrião do evento afirmou que o que é visto nesta ocasião e a maior demonstração da força e dinamismo do setor de seguros, especialmente no que diz respeito aos corretores de seguros. “Esse congresso é o retrato da nossa grandeza e beleza. Essa é a nossa cara, muito bonita. Parabéns corretores de seguros”.

Camillo falou também do que precisa ser melhorado no setor, admitindo que o corretor e seguros ao longo de muitos anos tem desempenhado seu papel e, muitas vezes, não reconhecido como deveria, até pela própria categoria. “O corretor de seguros cumpre um papel maior do que a intermediação, faz tem a disseminação da cultura de seguros. Não fosse isso, a judicializaçao seria infinitamente maior”, alegou. Camillo completou que é preciso ter uma relação madura sobre o mercado, lembrando que o seguro cumpre um papel social gigantesco.

Em sua primeira aparição oficial em evento do setor, com apenas 60 dias no cargo, o superintendente da Susep, Joaquim Mendanha, firmou o compromisso de que a Susep estará a postos para ajudar o setor de seguros a crescer de forma sustentável. “Estamos certos de quanto mais qualificado, ágil e eficiente for o setor mais rapidamente serão eliminados os gargalos que atrasam o seguro. A educação financeira terá papel importante para mostrar a importância do mercado de seguros” disse Mendanha. Para ele, dessa forma, o setor conseguirá ser protagonista na retomada do crescimento econômico do país. Os corretores tem imensa responsabilidade pois devem estar na linha de frente porque conhecem os consumidores e tem qualidade para ajudar os clientes. “A Susep está disposta. Recebi de Henrique Meirelles essa missão de alavancar o setor e crescendo com bases sólidas”, finalizou o superintendente.
Essa unidade das entidades e players do setor foi o tema da fala do presidente da Escola Nacional de Seguros, Robert Bittar. Reiterando que esse é um momento único com a oportunidade de fazer melhor para alcançar os objetivos. “Temos uma agenda a ser construída de forma macro para o desenvolvimento do setor. Sem mais cada um puxar a seu interesse, Estamos convencidos que o setor aproveitará um superintendente pro-ativo na Susep para que as instituições permaneçam unidas e pensem de forma a atender os interesses do mercado de seguros.

Presidente CNseg, Marcio Coriolano, afirmou que o cenário econômico do País é muito delicado e inspira cuidados. “Tenho certeza que o mercado segurador tem compromisso com o País”. Segundo ele, poucos percebem a importância que o setor tem para ajudar e por isso a entidade que preside desenvolveu uma agenda de trabalho para ajudar a mitigar os efeitos da crise.

“Essa agenda não é exclusiva da confederação, mas de todos os agentes do mercado segurador que possam contribuir”, enfatizou. Coriolano disse ainda que, mais do que nunca, o foco é inserir o setor no centro das políticas economicas do País para que os poderes compreendam o papel construtor do setor. Dirigindo-se a Joaquim Mendanha, afirmou que “o mercado está preparado para reforma previdenciária, para prover a sociedade dos produtos que ela necessita para o que está por vir. Esteja certo q o mercado estará preparado quando estiverem prontos para rever o seguro de garantia de obras e o Previsaúde entre outros produtos que devem vir”.

O Presidente da Fenacor, Armando Vergilio foi duro em algumas críticas ao mercado, afirmando que nos últimos 5 anos de administração do setor não foram positivos. “Hoje nós temos uma oportunidade ímpar, de ter no comando da Susep alguém oriundo do setor, que trabalhou a vida toda no setor. Vergilio elogiou o superintendente dizendo que ele está muito bem preparado para o cargo. “Precisamos de uma agenda positiva para o setor voltar a se desenvolver.
Nos últimos anos, o setor tem crescido porque tem espaço, mas não tem evoluído. Em alguns casos acabou até mesmo involuindo muito. A Fenacor irá colaborar com essa agenda positiva.
O secretário da Educação do estado de São Paulo, Renato Malini, que foi ao evento representar o governador Geraldo Alckmin, afirmou que “no mundo da incerteza o seguro traz segurança jurídica. A instituição seguros merece respeito do governo, em especial ao corretor de seguros que orienta o consumidor”. Malini revelou ainda que a secretaria de Educação está implementando um projeto importante de levar noções de seguros as crianças e jovens nas escolas de São Paulo.

A vice-presidente do Sincor-sp, Simone Martins “Um boa noite especial para as mulheres, estou feliz de representar vocês nessa mesa. As mulheres realmente estão no caminho de prosperar no mercado em meio a tantos homens”

Também estavam presentes Calisto Cardoso de Brito, do Sindicato dos securitários, que abriu os discursos saudando os anfitriões e os corretores presente no evento. Ele foi seguido pelo presidente do Sindseg-SP, Mauro Cesar Batista, que afirmou entusiasmo pelo momento especial do Brasil. “Parece que o nosso País está no caminho da retomada do progresso econômico e isso fará muito bem para o nosso setor”, afirmou. Batista lembrou também que o mundo conectado de hoje está intimamente relacionado com o mote do evento, ser aprender e empreender.

Após os discursos, teve início a Exposeg, feira onde os corretores e seguradores poderão trocar ideias e confraternizar durante os três dias do evento.

 

Amanda Cruz e Livia Sousa
Revista Apólice