contrato apólice

Você sabe quando e por que deve-se mudar o seguro do seu automóvel? Modificações no veículo, como instalação de som, mudança de rodas e rebaixamento, ou até mesmo alterações de endereço precisam ser comunicadas.

 

Muitos questionamentos podem surgir quando o consumidor precisa modificar as coberturas da apólice. “É muito comum, por exemplo, o segurado vender o carro e precisar transferir a apólice para outro modelo ou ajustar as coberturas do contrato para incluir novas proteções. Nos dois casos a recomendação é acionar o corretor, que realizará todos os procedimentos necessários junto à seguradora”, explica o diretor geral de Automóveis e Massificados do Grupo Segurador Banco do Brasil e Mapfre, Jabis Alexandre.
O executivo comenta também que já existem no mercado apólices com periodicidade modular. Elas permitem ao motorista optar por proteção com períodos mais curtos, ideais para quem sabe que irá vender o bem, evitando gastos e a necessidade de cancelamentos.

Alterações na contrato de seguros

 

  1. Mudanças nas características do carro

    É importante que o consumidor informe à seguradora qualquer modificação realizada na estrutura do automóvel. Algumas alterações, como o rebaixamento ou a instalação de rodas com tamanho não recomendado pelo fabricante, podem levar o cliente a perder o direito à indenização, caso ocorra um sinistro. “Alguns procedimentos alteram as características originais do veículo, podendo prejudicar itens de segurança. Por isso, as seguradoras geralmente não aceitam alguns riscos e declinam o ressarcimento diante da ocorrência de um acidente, caso as alterações tenham sido realizadas após a compra do seguro”, explica Alexandre.

  2. Instalação de equipamentos eletrônicos 

    O cliente precisa saber que itens como DVD, som e amplificadores não estão amparados pela cobertura básica do seguro. Por isso, como estes acessórios podem ter um valor elevado, é preciso que o consumidor solicite ao corretor a inclusão de cobertura adicional para estes equipamentos.

  3. Alteração de informações pessoais

    O segurado deve manter os seus dados cadastrais atualizados e comunicar qualquer mudança no seu endereço residencial ou informações bancárias. “Os dados cadastrais são utilizados para envio de correspondências importantes ao segurado, como vencimento da apólice e pagamentos. Além disso, para indenizar o cliente, serão utilizadas as informações bancárias do cadastro. Por este motivo, é importante que estas informações estejam atualizadas”, ressalta o executivo.

  4. Mudança de perfil

    Outro ponto importante que precisa de especial atenção dos consumidores é referente às mudanças no uso habitual do carro. Se o motorista mudou de emprego, por exemplo, e no seu novo trabalho ele não dispõe de garagem, a seguradora precisa ser avisada. A companhia só oferecerá proteção para os riscos previstos no contrato. Além disso, essas alterações podem gerar restituições ao cliente. O valor do seguro é calculado, entre outros pontos, pela rotina de uso do automóvel. Por isso, se houver diminuição ou aumento de risco, as modificações implicam em devolução ou atualização de valores.

A.C.
Revista Apólice

 

1 COMENTÁRIO

  1. Porque as seguradoras não aceitam mudar a data do seguro do carro? JA ESTOU COM 4 ANOS DE SEGURO E NUNCA BATI MEU CARRO MAS QDO DIGO QUE QUERO MUDAR A DATA FALAM QUE TENHO QUE FAZER NOVO SEGURO ????

Deixe uma resposta