14/08/2022

Os princípios ativos mais utilizados no combate ao colesterol

Os princípios ativos mais utilizados no combate ao colesterol

A Orizon concluiu um estudo sobre a utilização de antilipêmicos, medicamentos redutores de colesterol. Pelo levantamento, três princípios ativos representam mais de 80% do mercado: a Rosuvastatina, com 34,31%; seguida pela Sinvastatina (26,42%) e, em terceiro lugar, a Atorvastatina (19,91%).

Foram analisados 133.408 beneficiários que adquiriram 419.208 medicamentos no período pesquisado, uma média de 3,14 caixas por pessoa. O estudo foi feito no segundo semestre do ano passado e no primeiro semestre deste ano (12 meses). Em 55% dos casos optou-se pela compra da versão genérica do medicamento e 45% escolheram os remédios de marca. “Nosso Programa de Benefícios em Medicamentos (PBM) permitiu que os usuários participantes pudessem comprar os genéricos com 46% de desconto e os remédios de marca com 29%, o que resultou em uma economia de mais de 39%”, revela o pesquisador da companhia, Bruno Luiz de Carvalho.

As pessoas com idade acima de 45 anos representaram 78,18% do total de compras de medicamentos para reduzir o colesterol. A maior incidência no consumo de antilipêmicos foi a de acima de 59 anos (45,91%), seguido da faixa etária entre 55-59 anos (13,51%), depois 50-54 anos (11,34%) e 45-49 anos ( 7,41%).

Na região Sudeste, o Estado com o maior número de compras de medicamentos para o controle do colesterol foi São Paulo. No Sul foi o Rio Grande do Sul; no Centro-Oeste, Goiás; no Nordeste a maior incidência ocorreu na Bahia e na região Norte, no Amazonas.

O colesterol elevado é uma doença crônica e que precisa de tratamento ininterrupto. Segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia, 57 milhões de brasileiros têm colesterol elevado e correm o risco de ter um infarto ou Acidente Vascular Cerebral (AVC), caso não façam o tratamento adequado.

L.S.
Revista Apólice