Consórcio_alternativa para a aquisição de bens

Opção segura e vantajosa para aquisições que demandem grandes e pequenos investimentos, o consórcio tem chamado cada vez mais a atenção do brasileiro. Além de não exigir o pagamento de entrada e juros, o consórcio funciona como uma poupança planejada, na qual todos os meses o consorciado pode reservar uma quantia programada para comprar o bem escolhido.

Alguns termos podem causar dúvidas para quem procura por essa modalidade, mas eles podem ser entendidos de maneira simples. A Mapfre Consórcios ajuda a esclarecer algumas das principais expressões utilizadas no segmento:

  • Administradora: é a prestadora de serviços que forma e administra grupos de pessoas físicas ou jurídicas que têm o interesse de adquirir um determinado tipo de bem;
  • Cota: corresponde à identificação do consorciado dentro do grupo de consórcio;
  • Crédito (ou Carta de Crédito): é o documento emitido pela MAPFRE Consórcios a pedido do consorciado contemplado que comprova que o crédito nela indicado está à disposição;
  • Contemplação: é a atribuição ao consorciado do direito de utilizar o crédito, contemplado através de sorteio ou lance;
  • Sorteio: procedimento no qual o consorciado concorre à contemplação com seu número de cota;
  • Lance: é o valor que o cliente oferta objetivando a contemplação. No caso dos consórcios imobiliários, o participante pode utilizar o saldo do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) como pagamento, de acordo com as regras da Caixa Econômica Federal.

Ao escolher onde adquirir um consórcio, é importante verificar se a administradora é autorizada pelo Banco Central do Brasil (BACEN), o que atesta se a instituição está apta a operar. É preciso ainda verificar se o valor a investir não vai ultrapassar 30% de toda a renda bruta mensal e planejar as despesas para os próximos meses e anos, para que o consórcio não complique o orçamento da família.

Quem opta por um consórcio para a compra de um imóvel ou automóvel conta ainda com a isenção do pagamento de juros. O cliente paga somente uma taxa de administração mensal que tem apenas uma correção anual por meio do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). “O plano de consórcio ideal é aquele que cabe no bolso da família, seja para qual objetivo for. Além disso, é importante que o cliente mantenha o pagamento das parcelas em dia para que tenha sempre boas chances de ser contemplado, seja por sorteio ou por meio dos lances”, diz Renato Fernandes, diretor da empresa.

L.S.
Revista Apólice

 

Deixe uma resposta