Conheça o perfil de quem contrata seguros de vida pela internet

Uma pesquisa feita pela Mongeral Aegon revelou o perfil de quem contrata serviços voltados ao setor de seguros e previdência pela internet. Realizado entre janeiro e julho de 2015 a partir da base de clientes da plataforma da empresa, o levantamento mostra que o consumidor deste tipo de solução financeira é composto principalmente por mulheres (56%) ante 44% do público masculino. Já a idade do público segue a tendência daqueles que acessam a internet: a maioria tem até 50 anos.

Sobre as formas de pagamento, enquanto as transações de itens de consumo na internet tendem a ser via cartão de crédito, na hora de contratar o seguro ou previdência, a preferência é por débito automático, representando 80% dos clientes. Outros 11% usam cartão de crédito e 9% preferem realizar o pagamento via boleto bancário.

“Como este canal de contratação de seguros foi inaugurado pela companhia há dois anos, ainda estamos conhecendo o perfil de quem contrata via web, essencial para pensar em melhorias na experiência de compra. Hoje, pouco mais de 6% da população tem um seguro de vida e a loja online permite melhorar o acesso das pessoas a essas soluções financeiras”, diz o superintendente de marketing direto da companhia, Rafael Rosas.

Um dado curioso identificado neste consumidor é o horário escolhido pela maioria para realizar a transação. Do total, 76% afirmam ter contratado durante o expediente do trabalho e 16% fazem uso desta modalidade de compra de casa. Apenas 7% afirmam adquirir o produto no trabalho, mas depois do expediente.

Segundo o levantamento, os profissionais que mais pensam no futuro quando acessam o meio virtual são administradores, vendedores, advogados, empresários, gerentes e professores. Os aposentados, corretores e pensionistas também compõem o quadro de clientes, mas a maioria (67%) atua em profissões variadas.

A maioria das pessoas que contratam seguros e previdência pela internet ainda está localizada nos grandes centros, 53% nas capitais e ainda distribuídos por dez grandes cidades brasileiras, principalmente: São Paulo (33%), Rio de Janeiro (24%), Brasília (10%), Belo Horizonte (7%), Salvador (6%), Recife (4%), Fortaleza (4%), Guarulhos (4%), Cuiabá (4%) e Campo Grande (4%).

L.S.
Revista Apólice

Deixe uma resposta