Temporal atinge bairros e comunidades do interior de Francisco Beltrão, PR
Temporal atinge bairros e comunidades do interior de Francisco Beltrão, no Paraná. Foto: Leandro Czerniaski/Imprensa PMFB

ATUALIZADO EM 21/07/2015, ÀS 10H04 – A região Sul do Brasil sofreu com fortes temporais na última sexta-feira (10). Houve ao menos duas mortes – uma por descarga elétrica em São Joaquim (SC) e outra em Araruna (PR) – e um desaparecimento em Coronel Freitas (SC). No Rio Grande do Sul, duas mil pessoas foram obrigadas a deixar suas residências.

Em Francisco Beltrão, no sudoeste do Paraná, um tornado fez com que o interior da cidade fosse um dos locais mais prejudicados do Sul do País. Por lá, os ventos passaram de 120 km/hora, segundo a Somar Meteorologia, o que ocasionou em carros arrastados, postes e árvores caídas, casas totalmente destruídas e a morte de animais. Moradores também ficaram feridos: 19 pessoas foram encaminhadas à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da região, cinco ao Hospital Regional e quatro ao Hospital São Francisco. A estimativa da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural de Francisco Beltrão é de que os prejuízos ultrapassem os R$ 5 milhões.

Operações especiais

A Revista Apólice procurou a Mondial Assistance Brasil para saber as ações realizadas pela companhia nestes locais após os temporais. Por meio da assessoria de imprensa, a empresa de assistência 24 horas informou que foi acionada para atuar na região do Paraná prestando assistência aos clientes das companhias de seguro das quais atende no local. Na manhã da última sexta-feira (17), a Mondial enviou um representante da sua Rede de Prestadores para Francisco Beltrão, onde ficará a base de apoio da companhia.

O prestador será responsável pela aquisição de lonas para as residências afetadas, além de suprimentos alimentícios para fornecer os primeiros suportes aos moradores. Como uma forma de ajuda humanitária, a companhia, junto ao atendimento dos clientes, também entrará em contato com as autoridades locais para auxiliar e dar suporte aos demais moradores que não possuem nenhum tipo de cobertura.

Além do Paraná, a HDI Seguros está com operação de emergência em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul. Neste momento, os principais focos da companhia são os municípios de Francisco Beltrão (PR), Chapecó e Maravilha (SC), e as cidades de Novo Hamburgo, Caxias do Sul, Esteio e Porto Alegre (RS). Para dar suporte aos clientes, a seguradora deslocou equipes e veículos para atendimento nas regiões afetadas e acionou parceiros locais. Segundo o diretor de Sinistros da HDI, Frank Nelson Ohi, foram registrados 111 sinistros e 80 assistências para segurados de automóvel e residência.

Marcio Probst, Liberty Seguros Foto: Bruno Fernandes

Já a Liberty Seguros soma, até agora, 100 sinistros avisados nos três estados da região, sendo 70 de automóvel e 30 residenciais e patrimoniais. O diretor de Sinistros de Automóvel da companhia, Marcio Probst, afirma que todos os casos já estão em fase de atendimento.

Ele completa que a empresa não identificou um número alto de aviso de sinistros que justifique um plano de contingência nos municípios paranaenses de Francisco Beltrão, Apucarana e Londrina, mas destaca que a seguradora deverá ter maiores sinistros de seguros de automóvel no Oeste catarinense – Chapecó, Concórdia, Maravilha e Coronel Freitas, cidades que receberão operações emergenciais.

“Para os casos de Santa Catarina, já temos um plano estruturado que considera Assistência 24 horas, trabalhando com plano emergencial, removendo os veículos atingidos e também os veículos não atingidos pela inundação ou alagamento”, explica Probst. As operações inlcuem ainda uma Central de Atendimento para avisos de sinistros e o envio do veículo para oficinas especializadas, o envio de analista de sinistro Auto para a filial Chapecó com o objetivo de atender segurados e corretores e efetuar eventuais indenizações integrais de forma rápida, além de uma equipe de peritos para atendimento das demandas da região.

Em casos de inundação e catástrofes com esta, é comum o aumento do volume de sinistros de indenização integral. Por isso, a Liberty comunica seus corretores das regiões atingidas, com foco em Chapecó, sobre as iniciativas do plano emergencial e indica que um analista de sinistros está na cidade para contatar os profissionais para tirar dúvidas e realizar o pagamento dos sinistros de indenização integral de automóvel.

Renato Roperto, SulAmérica

Outra seguradora que opera nas regiões atingidas é a SulAmérica, sendo que os principais acionamentos registrados pela empresa ocorrem nos seguros residenciais e de automóvel. Foi estabelecido um fluxo mais ágil, priorizando a liquidação dos casos associados ao evento ocorrido nas cidades impactadas, sem necessidade de contingência.

“Identificamos 40 sinistros em Massificados, todos no seguro residencial, e no seguro Auto temos 16 casos de alagamento”, declara Renato Roperto, diretor de Sinistros de Auto e Massificados da seguradora.

Para receber a indenização, os clientes devem entrar em contato com o call center da SulAmérica para registro do aviso de sinistro, momento no qual recebem todas as orientações para que sejam devidamente indenizados. O executivo acrescenta que todos os segurados que sofreram algum tipo de sinistro nas cidades onde ocorreram os fenômenos naturais estão sendo priorizados.

A Caixa Seguradora também atua nos três Estados, com maiores esforços no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina. Na cidade de Esteio, a companhia incrementou um veículo deslocado de Porto Alegre com estoque de lona. Porto Alegre, Novo Hamburgo e São Leopoldo estão sendo atendidas pelos parceiros locais. A seguradora espera que em Chapecó o aumento nas solicitações de serviços se dê após a baixa do nível da água e, por isso, ampliou a capacidade com duas equipes de outras praças (uma de residencial e dois reboques para auxílio geral, como Auto e remoções).

Assim que recebem os comunicados, os prestadores da Caixa Seguradora são orientados a realizar a vistoria e fixar o valor de indenização juntamente com o segurado até o limite de R$ 10 mil. A medida visa agilizar a liquidação do sinistro e minimizar os prejuízos decorrentes do evento. Para a indenização, os clientes da companhia devem contatar a Central de Acolhimento da Caixa Seguradora (0800 722 2492), comunicar o sinistro e aguardar a realização da vistoria.

Técnicos das áreas de vistoria e regulação de sinistro do Grupo Bradesco Seguros estão percorrendo as cidades dos três Estados atingidas pelas chuvas para coletar informações que permitam agilizar o pagamento aos segurados que tiveram algum tipo de perda em suas residências, automóveis ou estabelecimentos comerciais.

Até o momento, os técnicos abriram 89 avisos de sinistros de residências e empresas, com prejuízos estimados em R$ 550 mil. Desses, 51 segurados já tiveram recursos liberados para a reconstrução dos imóveis. Os segurados podem acessar também a Central de Relacionamento da Bradesco Seguros pelos números 0800 701 2757 e 4004 2757.

Lívia Sousa
Revista Apólice

Deixe uma resposta